CASA DE 1969 POR PAULO MENDES DA ROCHA

Se compararmos o endereço fixo de Houssein Jarouche em São Paulo com sua segunda casa na cidade, pensada como um retiro para os finais de semana, certamente vai parecer que estamos falando de duas pessoas completamente diferentes. Enquanto o apartamento se assemelha a um loft, totalmente integrado e recheado do melhor do design contemporâneo, a residência tem espírito brutalista e representa uma época de ouro da arquitetura brasileira. { Relembre o projeto do apê aqui }

Dono da Micasa, simplesmente uma das lojas mais incríveis do país e representante das maiores marcas de mobiliário do mundo, Jarouche sabe distinguir um bom desenho de longe. Não é à toa que ele agora passa seus dias de descanso em um imóvel concebido por ninguém menos que o ganhador do Prêmio Pritzker, Paulo Mendes da Rocha. O arquiteto, hoje já com seus 80 e tantos anos, foi convidado pelo atual proprietário a comandar uma reforma mais de 4 décadas depois de ter concluído o projeto original. É por isso que essa é uma casa tão especial. Afinal, não é sempre que se pode ‘reescrever’ a própria história.

Como em toda obra-prima, o empresário sabia que seria um pecado interferir em qualquer detalhe que fosse dessa criação. Assim a tal reforma foi, na realidade, uma restauração, onde cada porta, revestimento ou cor que tinha sido alterado ao longo dos anos, voltou ao seu estado inicial. Com vidros trocados e alguns acabamentos refeitos, a única mudança aconteceu de acordo com um desejo do próprio arquiteto, um desejo de 45 anos atrás: a piscina foi finalmente pintada de preto.

Cobrindo o piso de praticamente toda a área social, os ladrilhos hidráulicos em branco, azul, amarelo e vermelho trazem um toque de delicadeza em um cenário quase todo dominado por elementos fortes e rígidos, como as instalações elétricas e canos aparentes. Já o mobiliário, com a maioria das peças vindas da Micasa, é claro, foi escolhido pelo proprietário de forma a casar com o conjunto arquitetônico, sem se sobrepor e tampouco passar despercebido.

Além do imenso valor histórico, o que mais encantou o morador foi a maneira com que a construção parece flutuar sobre o terreno acidentado. Suspensa por quatro pilares de concreto, material que reveste toda a fachada como se fosse um imenso bloco, a casa permite que as janelas sejam altas o bastante para apreciar as copas das árvores do bairro e as plantas do jardim – apesar de alguns prédios vizinhos trazerem à tona a realidade de que, afinal, ainda estamos em São Paulo.

Durante toda essa operação de restauro, Paulo Mendes da Rocha contou com a ajuda do estúdio de um ex-aluno seu, Eduardo Colonelli. Ao lado do mestre, Eduardo ajudou a dar vida nova à casa que resume o estado da arte da arquitetura brasileira.

Fotos via Interior Design

Anúncios
  1. É de ficar babando né Mara… Realmente incrível essa casa. E o piso então? Acho que é meu detalhe favorito! rsrs.. =)
    Beijos Bruna

    • MARA SILVIA IACOPONI
    • 11 de março de 2012

    maximo isso, incrivelmente como ficou uma contrucao moderna os encanamentos aparentes, uau…

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: