Posts Tagged ‘ apartamento ’

TOP 5 | PAREDES VERDE-ÁGUA

Encantador, vivo e ainda por cima relaxante, o verde-água parece ser a cor do momento. Pelo menos quando o assunto é paredes, e paredes bacanas. Descubra 5 projetos lindos e inspire-se também.

# 1 Criativo como sempre, o arquiteto Guilherme Torres elegeu a cor para trazer vida ao living de um apê de 145m² em Curitiba. A composição fica completa com os móveis, tapetes e tecidos em azul e verde.

# 2 Quem iria imaginar que o verde-água combinava tanto com madeira? Só mesmo o arquiteto e designer Paulo Alves, autor do décor desse dormitório.

# 3 Mesmo na quitinete de 36 m², o designer Gabriel Valdivieso não teve medo de usar as cores. A escolha da paleta nasceu inspirada pelo filme Maria Antonieta, de Sofia Coppola.

# 4 Não só na parede, mas também no mobiliário, os tons suaves são a graça do modesto living decorado pelo próprio morador.

# 5 Tijolinho é sempre lindo! Nessa cor então, beiram a perfeição. E ainda funcionam como fundo para as obras de arte.

Fotos 1 e 3 via Casa de Valentina | 2 e 4 via Casa Claudia | 5 via Pinterest

JOIA ESCANDINAVA

Quando a designer de joias Stine A. Johansen se deparou com o desafio de decorar o próprio apartamento, a criatividade e o senso estético pareceram extrapolar os limites de seus esboços e croquis e invadir todos os espaços. Sem fugir da fórmula bem-sucedida dos projetos escandinavos, onde o branco costuma cobrir a maior parte das superfícies, a moradora decidiu apimentar essa história com obras de arte coloridas em todos os cômodos. Das telas, os tons suaves e femininos pulam para os acessórios e objetos, como a roupa de cama da suíte.

Os móveis compõem uma mistura de velho e novo, peças garimpadas e grandes clássicos do design. Para Stine, é tudo uma troca de criações: os detalhes de seu lar a inspiram a desenhar novas jóias, enquanto essas a inspiram em novas combinações para a casa. Até mesmo a pintura dos quadros foi ela quem fez, explorando formas e cores que não se encaixavam em seus acessórios assinados. Mas a parte mais bacana dessa composição é que todo o clima do apê pode ser facilmente transformado, basta trocar os quadros!

Fotos via Interiormagasinet

SEXTA INSPIRADA! PÉ-DIREITO DUPLO

{ Clique na imagem para ler todas as matérias da coluna }

Todo mundo gosta de pé-direito alto, certo? Mas não é todo mundo que sabe como aproveitar esses privilégios arquitetônicos – afinal, são pra poucos. Selecionamos alguns projetos super bacanas com propostas ousadas e estilosas para ambientes com o teto nas alturas. Confira!

A beleza da simetria

O arquiteto Roberto Migotto dispensa apresentações. Todo mundo já sabe que ele é sofisticado até o último fio de cabelo e seu bom gosto é inquestionável. Mais um exemplo desse talento sem igual é essa residência com living amplo e integrado, onde cada detalhe reflete o cuidado de Roberto em criar espaços atraentes e impactantes. Confortáveis, os móveis ganharam acabamentos em tons neutros, que variam entre marrons e brancos.

 Iluminação em foco

Instalada em uma construção secular, mais precisamente o Palacete Lineu de Paula Machado, a Casa Cor RJ de 2011 foi marcada pela mistura da arquitetura do século XIX com a decoração contemporânea. Um dos grandes destaques do evento foi o living concebido por Gisele Taranto, onde esse mix de épocas também se fez presente. Para valorizar o pé-direito generoso, a arquiteta bolou uma criativa instalação de luminárias pendentes.

Banco criativo

De frente para o mar, um enorme prédio na cidade de Elsinore, na Dinamarca, um dia já foi um galpão destinado à construção naval. Felizmente, o governo e os arquitetos do estúdio AART conseguiram dar uma utilidade bem mais nobre à estrutura, transformando-a no centro cultural The Culture Yard. Um dos corredores, repleto de luz natural que entra pela fachada de vidro, ganhou um banco alto com formas geométricas, valorizando o pé-direito.

Ladeado pelo jardim

Enormes panos de vidro nas duas laterais fazem com que esse ambiente pareça estar no meio do jardim. E a ideia do arquiteto Marco Aurélio Viterbo era mesmo essa, criar um living onde a integração visual com a área externa da casa fosse constante. Para compor a decoração sofisticada e atemporal, foram selecionadas peças de desenho contemporâneo e revestimentos em cores neutras, garantindo que o tom que predomina seja o verde lá fora. { Conheça o projeto completo no Casa de Valentina }.

Escada estratégica

Em alguns espaços, o pé-direito duplo precisa ser aproveitado ao máximo, seja para expor grandes coleções ou até mesmo para a instalação de armários até o alto, multiplicando os cantinhos pra esconder louças ou livros. O porém é que assim tudo o que está guardado fica literalmente inalcançável. É nessas horas que entra em cena uma escada esperta com rodinhas na base e pronto! Problema resolvido.


A estante é a protagonista

Saber aproveitar cômodos com tetos altíssimos não é tarefa fácil. Por isso, assim que se deparou com o pé-direito de 5 metros da sala, a jovem dona desse apartamento em um bairro nobre de São Paulo logo recorreu à ajuda da arquiteta Paula Magnani. A proposta da profissional foi usar uma enorme estante branca como divisória entre o living e o home office, que fica logo ao lado. Alternados e de tamanhos diferentes, os nichos abertos e fechados dão movimento à peça de marcenaria.

Um hotel descontraído

Cores fortes como azul, verde e vermelho são elementos constantes no décor do hotel Hi em Nice, no litoral da França. A proposta desse hotel é diferente da dos outros. Nele não te fazem sentir em casa, e também não fazem sentir-se como um convidado de luxo. Lá no Hi a ideia é favorecer a convivência, a troca de experiências e as novas descobertas. Talvez seja por isso que os espaços sociais sejam tão interessantes. O projeto é de Matali Crasset.

Fotos via Folha Vitoria | Loveisspeed | Dezeen | Casa de Valentina | Pinterest | Casa Claudia | Abcsalles

TREPADEIRA DENTRO DE CASA? SIM!

Boa ideia: Quem mora em apartamento sempre tem certa dificuldade em inserir plantas e vasos na decoração, principalmente quem não tem varanda. Então aí vai uma inspiração fácil de colocar em prática e com um efeito ótimo. A produtora Myrica Bergqvist criou uma engenhoca bacana pra resolver esse problema da falta de verde. Bastou plantar uma trepadeira no pequeno vaso e orientá-la ao redor da janela com fios transparentes presos no teto. Bem simples não?

Foto via Myrica Bergqvist

APÊ COOL POR GUILHERME TORRES

Descolado, moderninho, irreverente, arrojado… Tais adjetivos são usados com frequência pra descrever os tantos projetos incríveis do arquiteto Guilherme  Torres. De uns anos pra cá, o profissional tem ganhado cada vez mais destaque, inclusive internacionalmente.

Tanto que agora já virou fato: quando o assunto é criar um espaço autêntico que reflita a cultura jovem e urbana, não tem pra ninguém. Guilherme e sua equipe lideram o ranking. A bola da vez é o lar, doce lar do DJ Pil Marques, em São Paulo, que você conhece agora.

O desafio foi grande e até meio inesperado. Em poucos m² era preciso fazer caber não só o acervo de Pil, como também os objetos e cômodos de seus roommates, o artista Daniel Zanardi e a também DJ Adriana Recchi. A tarefa seria rotineira, e até simples, se não fosse pelas preciosas coleções do proprietário. Incontáveis bonecos toy art, discos de vinil e obras de arte exigiram do arquiteto muito jogo de cintura e um verdadeiro instinto de curador.

De frente para o hall de entrada, o equipamento sonoro — uma das grandes paixões do morador e também seu ganha-pão — recepciona os visitantes. Logo em seguida, o que mais atrai o olhar são as paredes da área social, coloridas em azul escuro na parte do sofá e em rosa forte na cozinha integrada. Apesar de vibrantes, as cores, assim como os móveis, funcionam como pano de fundo para que os objetos garimpados ao longo dos anos fiquem sob os holofotes. Como detalhes que exigem um olhar mais atento e demorado, tal qual uma exposição.

O quarto de Pil, como já era de se esperar, foi transformado em um refúgio não só para ele, como também para seus mais queridos bonecos, de relíquias vintage a modelos recém-lancados, passando por personagens do Star Wars e de desenho animado. É ali, cercado por seus pertences do coração, em meio ao caos organizado, que o DJ consegue realmente descansar e sentir-se em casa.

Não se cansa dos projetos do Guilherme? Nós também não! Clique na foto e descubra muitos outros já publicados aqui.

Fotos de Lufe Gomes via Yatzer

SEXTA INSPIRADA! VERMELHO

Uns amam, outros odeiam. O vermelho, forte e marcante, nunca passa batido. O que dizer então de espaços quase que inteiramente tomados pela cor e suas nuances? No mínimo instigantes. Descubra como o vermelho total pode funcionar em mostras, escritórios, escolas, hotéis e até mesmo em casas.

Presença de impacto

Não tinha como não se surpreender. Quem quer que entrasse no lounge concebido pelo arquiteto Leo Romano durante a Casa Cor Brasília de 2010, tinha os olhos invadidos pelo forte vermelho que reinava absoluto, cobrindo paredes, teto e objetos. Móveis em amarelo e o enorme sofá multicolorido no centro do ambiente funcionavam como pontos de destaque, atraindo o olhar. Ousado, Leo fez questão de marcar presença na mostra criando um projeto inesquecível.

Mistura de texturas

Do lado de fora, o branco das ruas cobertas de neve — cena comum durante os invernos da cidade de Bruxelas, na Bélgica. Já no interior do loft, um brusco contraste: um cômodo quase totalmente vermelho, a não ser pelo piso. Alain Gilles, designer responsável pelo décor do imóvel, aproveitou as diferentes texturas das paredes para que o resultado não fosse monótono. Assim, madeira, tijolinho e porta ganharam suas versões avermelhadas.

Luz no fim do túnel

O corredor e a sala de almoço desse apartamento são literalmente um túnel, revestido com exatas 36 portas resgatadas de outra construção. A solução um tanto quanto improvável foi ideia do estúdio LOT-EK e do empreiteiro Andreas Scholtz, que buscavam uma maneira de tornar esse pequeno espaço mais convidativo para os moradores. Por trás do acabamento brilhante, nichos planejados acomodam objetos e louças.

Encontro de trabalho

Prestigiado com diversos prêmios na área, o estúdio Ministry of Design, com base em Singapura, não podia fazer feio em sua própria “casa”. E não fez. As instalações do novo escritório, cuja obra foi finalizada em 2010, são dinâmicas e inovadoras. Uma das saletas, ambiente de encontro da equipe, ganhou acabamento e estofados vermelhos, pra estimular animadas conversas.

Berço de ideias

Com o objetivo de incentivar os alunos do primeiro ano do curso de Engenharia, a University of South Australia decidiu conceder-lhes um centro de aprendizado irreverente. O escritório escalado para a concepção do espaço foi o Woods Bagot, especialista em projetos corporativos e institucionais. Em uma proposta divertida, parte do núcleo criativo possui placas vermelhas como revestimento e móveis também nessa cor.

De volta para o futuro

Quando foi inaugurado, em 2005, o hotel Puerta America, na Espanha, causou rebuliço. Isso porque os diversos andares do edifício foram divididos entre grandes estrelas da arquitetura, como Zaha Hadid, Ron Arad e Norman Foster, que realizaram surpreendentes propostas futuristicas nas suítes e corredores. Além do mais, foi nos cômodos do hotel que o público pôde descobrir toda a versatilidade do Corian, material usado em paredes e móveis para criar verdadeiras esculturas arquitetônicas.

Ahhh, e não esquecemos do ambiente do Roberto Migotto na Hyundai Mostra Black não. Quer revê-lo? Clica na foto!

APARTAMENTO HARMONIA DO COLETIVO WHYDESIGN

Referências ao movimento brutalista estão por toda a parte nessa cobertura de 132 m² na Vila Madalena, em São Paulo. Da laje original às vigas de concreto, o apê expõe sem medo – e sem maquiagem – todos os detalhes que definem sua estrutura. A reforma às avessas, que durou cerca de 5 meses, foi comandada pelo coletivo WHYDESIGN, formado por Guto Requena, Maurício Arruda e Tatiana Sakurai, todos já conhecidos pela busca constante por novos conceitos.

Claro que os moradores, um administrador paulistano e um advogado/designer brasiliense, tiveram grande participação no resultado final da decoração, que ganhou ares masculinos não só pelos acabamentos escolhidos, mas também pelo jeito prático e “sem frescura” de distribuir os ambientes. Diversos tons de cinza orientam a paleta de cores sóbria, suavizada pelas paredes de alvenaria e azulejos brancos.

Como já é comum na maioria das casas, a cozinha integra-se ao living, deixando o andar de baixo quase sem paredes, totalmente aberto. Pra reforçar a sensação de amplitude e unidade visual, os designers propuseram o uso de um mesmo piso em todo o apartamento, o ladrilho hidráulico cinza, que reveste inclusive a suíte e o closet, no pavimento superior.

Ainda na área social, a iluminação também chama a atenção, formada por calhas em ziguezague que abrigam lâmpadas fluorescentes de efeito amarelado. Ali, a escada de formas orgânicas atua como protagonista ao lado de móveis de design assinado, como as ousadas peças concebidas por Rodrigo Almeida.

Com teto de madeira pra proporcionar mais aconchego, o andar de cima também traz soluções arquitetônicas interessantes. A primeira delas é a ligação entre dormitório e sala de banho, que se dá através de portas pivotantes escuras. A segunda, e ainda mais surpreendente, é o box do banheiro, fechado por uma folha de vidro que revela a vista para a varanda – e para a cidade lá fora.

Fotos via Flodeau

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 92 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: