Posts Tagged ‘ Casa Cor ’

SEXTA INSPIRADA! ESTANTES

{ Clique na imagem para ler todas as matérias da coluna }

Presentes em quase todas as casas, as estantes funcionam como uma espécie de vitrine da família, reunindo não apenas livros, mas também os objetos mais queridos dos moradores, como fotos, lembranças de viagens e coleções. São muitas as opções de materiais, cores e formas, mas reunimos algumas sugestões bem bacanas e diferentes pra inspirar o seu dia.

Alvenaria colorida

Com nichos em formatos irregulares e descoordenados, essa estante já seria diferente mesmo que fosse inteirinha de uma cor só. Mas, como originalidade nunca é demais, a ideia do designer Benjamin Mahon foi além, e assim os nichos ganharam um delicado tom pastel. Os detalhes em verdinho deixam o ambiente mais divertido e ainda suavizam a espessura da estrutura, que também foge do padrão.

Mix descontraído

Inspirado nas casas de veraneio, sempre tão recorridas por quem vive na cidade grande, Leo Romano idealizou um espaço alegre e arrojado para a Casa Cor Goiás de 2011. Sua principal intenção era trazer para o cenário doméstico urbano o clima descontraído da praia. Um dos destaques do ambiente foi a estante, que ficava suspensa do piso, permitindo vislumbrar o outro lado da sala.

As prateleiras foram preenchidas com itens das mais diversas origens, dos convencionais livros e revistas a velharias, coleções e esculturas, em uma composição estilosa.

Tudo em seu lugar

Vizinha de um bosque preservado em Curitiba, a casa do engenheiro Alam Rech é uma delícia. Apesar da sala não ser muito grande, ele reservou um cantinho especial para um de seus hobbies preferidos, a leitura. Organizadas sobre prateleiras pretas e espessas, encomendadas a uma marcenaria, a coleção de revistas preenche a estante quase por completo. A coluna estrutural de tijolinho garante ainda um jogo de texturas.

Livre, leve e solta

A proposta dos arquitetos Antonio Ferreira Jr. e Mario Celso Bernardes para seu projeto durante a mostra Casa Cor São Paulo de 2009 foi a de usar uma estante preta abarrotada de livros. Abarrotada mesmo! Sem nenhum espacinho livre para objetos. Para o visual da peça não ficar pesado, os arquitetos a fizeram desencostada das paredes, do teto e do piso, quase como se flutuasse. Alguns dos nichos foram preenchidos por nichos menores em cores fortes – laranja, verde e azul – o que deixou o móvel bem menos sério.

Da cor do sol

Se há alguns anos o lema era usar apenas tons neutros na marcenaria, agora a proposta é exatamente o oposto. Vermelho, azul, verde… Hoje em dia qualquer cor pode ser reproduzida nos móveis feitos sob medida, mas a grande eleita é, na maioria dos casos, o amarelo, que está em alta faz tempo. Leo Romano, arquiteto goiano, já projetou uma estante maluca em amarelo em uma de suas participações na mostra Casa Cor. Já os arquitetos do Andy Martin Architects optaram por essa cor para trazer mais energia ao living.

Formas inusitadas

A designer francesa Marika Dru acredita que investir em peças de bom desenho é um dos passos para se ter uma morada original. Tanto que nesse cômodo – um cantinho de leitura com poltrona bem confortável – ela sugeriu aos moradores a estante Split Boxes, da marca Skitsch. A boa notícia é que a marca tem loja aqui no Brasil também, em São Paulo, na famosa Al. Gabriel Monteiro da Silva.

De carona

Existem milhares de ideias interessantes de estante por aí, mas o troféu criatividade vai ter que ir para o estúdio Denieuwegeneratie. No projeto de uma residência na Holanda, os designers fizeram o impensável: fixaram um enorme carro com teto solar na parede e o transformaram em um apoio para livros e objetos super inusitado. Só mesmo em um cômodo bem amplo é que daria pra fazer uma ousadia dessas.

Fotos via Marie Claire Maison | Casa de Valentina | Casa Claudia | AMC Arquitetura | Contemporist | Yatzer

Anúncios

SEXTA INSPIRADA! PÉ-DIREITO DUPLO

{ Clique na imagem para ler todas as matérias da coluna }

Todo mundo gosta de pé-direito alto, certo? Mas não é todo mundo que sabe como aproveitar esses privilégios arquitetônicos – afinal, são pra poucos. Selecionamos alguns projetos super bacanas com propostas ousadas e estilosas para ambientes com o teto nas alturas. Confira!

A beleza da simetria

O arquiteto Roberto Migotto dispensa apresentações. Todo mundo já sabe que ele é sofisticado até o último fio de cabelo e seu bom gosto é inquestionável. Mais um exemplo desse talento sem igual é essa residência com living amplo e integrado, onde cada detalhe reflete o cuidado de Roberto em criar espaços atraentes e impactantes. Confortáveis, os móveis ganharam acabamentos em tons neutros, que variam entre marrons e brancos.

 Iluminação em foco

Instalada em uma construção secular, mais precisamente o Palacete Lineu de Paula Machado, a Casa Cor RJ de 2011 foi marcada pela mistura da arquitetura do século XIX com a decoração contemporânea. Um dos grandes destaques do evento foi o living concebido por Gisele Taranto, onde esse mix de épocas também se fez presente. Para valorizar o pé-direito generoso, a arquiteta bolou uma criativa instalação de luminárias pendentes.

Banco criativo

De frente para o mar, um enorme prédio na cidade de Elsinore, na Dinamarca, um dia já foi um galpão destinado à construção naval. Felizmente, o governo e os arquitetos do estúdio AART conseguiram dar uma utilidade bem mais nobre à estrutura, transformando-a no centro cultural The Culture Yard. Um dos corredores, repleto de luz natural que entra pela fachada de vidro, ganhou um banco alto com formas geométricas, valorizando o pé-direito.

Ladeado pelo jardim

Enormes panos de vidro nas duas laterais fazem com que esse ambiente pareça estar no meio do jardim. E a ideia do arquiteto Marco Aurélio Viterbo era mesmo essa, criar um living onde a integração visual com a área externa da casa fosse constante. Para compor a decoração sofisticada e atemporal, foram selecionadas peças de desenho contemporâneo e revestimentos em cores neutras, garantindo que o tom que predomina seja o verde lá fora. { Conheça o projeto completo no Casa de Valentina }.

Escada estratégica

Em alguns espaços, o pé-direito duplo precisa ser aproveitado ao máximo, seja para expor grandes coleções ou até mesmo para a instalação de armários até o alto, multiplicando os cantinhos pra esconder louças ou livros. O porém é que assim tudo o que está guardado fica literalmente inalcançável. É nessas horas que entra em cena uma escada esperta com rodinhas na base e pronto! Problema resolvido.


A estante é a protagonista

Saber aproveitar cômodos com tetos altíssimos não é tarefa fácil. Por isso, assim que se deparou com o pé-direito de 5 metros da sala, a jovem dona desse apartamento em um bairro nobre de São Paulo logo recorreu à ajuda da arquiteta Paula Magnani. A proposta da profissional foi usar uma enorme estante branca como divisória entre o living e o home office, que fica logo ao lado. Alternados e de tamanhos diferentes, os nichos abertos e fechados dão movimento à peça de marcenaria.

Um hotel descontraído

Cores fortes como azul, verde e vermelho são elementos constantes no décor do hotel Hi em Nice, no litoral da França. A proposta desse hotel é diferente da dos outros. Nele não te fazem sentir em casa, e também não fazem sentir-se como um convidado de luxo. Lá no Hi a ideia é favorecer a convivência, a troca de experiências e as novas descobertas. Talvez seja por isso que os espaços sociais sejam tão interessantes. O projeto é de Matali Crasset.

Fotos via Folha Vitoria | Loveisspeed | Dezeen | Casa de Valentina | Pinterest | Casa Claudia | Abcsalles

SEXTA INSPIRADA! VERMELHO

Uns amam, outros odeiam. O vermelho, forte e marcante, nunca passa batido. O que dizer então de espaços quase que inteiramente tomados pela cor e suas nuances? No mínimo instigantes. Descubra como o vermelho total pode funcionar em mostras, escritórios, escolas, hotéis e até mesmo em casas.

Presença de impacto

Não tinha como não se surpreender. Quem quer que entrasse no lounge concebido pelo arquiteto Leo Romano durante a Casa Cor Brasília de 2010, tinha os olhos invadidos pelo forte vermelho que reinava absoluto, cobrindo paredes, teto e objetos. Móveis em amarelo e o enorme sofá multicolorido no centro do ambiente funcionavam como pontos de destaque, atraindo o olhar. Ousado, Leo fez questão de marcar presença na mostra criando um projeto inesquecível.

Mistura de texturas

Do lado de fora, o branco das ruas cobertas de neve — cena comum durante os invernos da cidade de Bruxelas, na Bélgica. Já no interior do loft, um brusco contraste: um cômodo quase totalmente vermelho, a não ser pelo piso. Alain Gilles, designer responsável pelo décor do imóvel, aproveitou as diferentes texturas das paredes para que o resultado não fosse monótono. Assim, madeira, tijolinho e porta ganharam suas versões avermelhadas.

Luz no fim do túnel

O corredor e a sala de almoço desse apartamento são literalmente um túnel, revestido com exatas 36 portas resgatadas de outra construção. A solução um tanto quanto improvável foi ideia do estúdio LOT-EK e do empreiteiro Andreas Scholtz, que buscavam uma maneira de tornar esse pequeno espaço mais convidativo para os moradores. Por trás do acabamento brilhante, nichos planejados acomodam objetos e louças.

Encontro de trabalho

Prestigiado com diversos prêmios na área, o estúdio Ministry of Design, com base em Singapura, não podia fazer feio em sua própria “casa”. E não fez. As instalações do novo escritório, cuja obra foi finalizada em 2010, são dinâmicas e inovadoras. Uma das saletas, ambiente de encontro da equipe, ganhou acabamento e estofados vermelhos, pra estimular animadas conversas.

Berço de ideias

Com o objetivo de incentivar os alunos do primeiro ano do curso de Engenharia, a University of South Australia decidiu conceder-lhes um centro de aprendizado irreverente. O escritório escalado para a concepção do espaço foi o Woods Bagot, especialista em projetos corporativos e institucionais. Em uma proposta divertida, parte do núcleo criativo possui placas vermelhas como revestimento e móveis também nessa cor.

De volta para o futuro

Quando foi inaugurado, em 2005, o hotel Puerta America, na Espanha, causou rebuliço. Isso porque os diversos andares do edifício foram divididos entre grandes estrelas da arquitetura, como Zaha Hadid, Ron Arad e Norman Foster, que realizaram surpreendentes propostas futuristicas nas suítes e corredores. Além do mais, foi nos cômodos do hotel que o público pôde descobrir toda a versatilidade do Corian, material usado em paredes e móveis para criar verdadeiras esculturas arquitetônicas.

Ahhh, e não esquecemos do ambiente do Roberto Migotto na Hyundai Mostra Black não. Quer revê-lo? Clica na foto!

SEXTA INSPIRADA! HOME OFFICE

Com as cidades cada vez mais atoladas pelo trânsito, a solução de trabalhar em casa parece ganhar cada vez mais adeptos. Além de proporcionar mais conforto, menos stress e menos gastos, os home offices ainda permitem que a pessoa conviva mais com os filhos ou animais de estimação. Confira alguns ambientes que provam que o futuro do trabalho é ser feito dentro do lar doce lar.

Jardim na parede

Mesmo pequeno, o home office das cenógrafas Gigi Barreto, Olivia Azevedo e Natasha Frota, consegue surpreender qualquer um. Isso porque, em busca de deixar o ambiente mais aconchegante e poético, elas tiveram a incrível ideia de forrar a parede da janela com hera sintética. Essa foi uma maneira inusitada de trazer a natureza mais pra perto — mesmo que seja artifical.

Iluminação diferenciada

Por mais que esse projeto seja um espaço de mostra, a metragem reduzida o aproxima dos escritórios reais, onde é preciso tirar proveito de cada cantinho disponível. O grande diferencial é o pé-direito duplo, que permitiu a brincadeira com pendentes e travas de aço proposta pelos designers Marcelo Jardim e Tiago Freire. Essa foi mais uma participação da dupla na Casa Cor RJ, na edição de 2011.

Com vista para o verde

Praticamente todos os cômodos da residência idealizada por Lia Siqueira em Mangaratiba, no Rio, se relacionam com o jardim, inclusive o home office. Ao invés de divisórias fixas, portas de correr fazem a ligação entre interior e exterior, enquanto a bancada de madeira fica desencostada das paredes. Com poucos móveis e objetos, o maior destaque do ambiente é mesmo o lado de fora.

Alma de artista

Obras de arte e peças de estilos completamente diferentes — uma mesa de centro rústica e uma bancada de trabalho futurista — convivem em perfeita sintonia na casa de uma artista plástica francesa. Ali, no living mesmo, a moradora consegue trabalhar sem preocupação e ainda desfruta da luz natural vinda do terraço. A estante de madeira reúne poucos elementos, sem pesar no visual.

Estante vazada, mais claridade

Em um amplo ambiente praticamente sem divisórias, o arquiteto e designer Omer Arbel propôs um home office integrado ao restante da área social para o lar de seu colega de trabalho. Na estante, com desenho também assinado por Arbel, o morador guarda sua coleção de discos, livros e arranjos de cactos.

Inspiração no ateliê

Além da luminosidade natural, que se reflete no piso e nas paredes brancas, a grande sacada desse escritório é que a bancada fica no centro do ambiente, longe de qualquer parede. A mesa branca também possui um detalhe bem bacana: sob o tampo de vidro é possível guardar objetos e livros, ou mesmo imagens de inspiração. Com pés de cavalete, o móvel pode facilmente ser reproduzido em qualquer marcenaria. Para tornar o cantinho ainda mais charmoso, a luminária azul fica ao lado do vaso de flores, que são sempre bem-vindas.

Fotos via Casa Claudia | Bamboo | Jean Francois Venet | Dwell | The Style Files

COLETIVO MUDA | ARTE DE RUA EM AZULEJOS

Eles são em cinco: João Tolentino, Bruna Vieira, Rodrigo Kalache, Diego Uribbe e Duke Capellão. Juntos, esses designers e arquitetos formam o coletivo MUDA, que tem transformado a paisagem urbana do Rio de Janeiro, trazendo respiros de cor e arte para a agitada rotina da cidade. Hoje, o MUDA representa uma nova forma de arte de rua que, ao invés de usar as paredes e muros crus, explora um novo suporte, os azulejos.

O engraçado é que na verdade a história do grupo começou sem a pretensão de mudar o cenário urbano. A princípio, as estampas gráficas criadas por eles eram estudos de padronagens que poderiam ser usadas em seus projetos, no Estudio Utopia e no Movimento Arquitetura. Acontece que esses processos criativos renderam tantos frutos que não deu outra, eles decidiram se dedicar cada vez mais ao coletivo.

Foi com João e Duke, que têm mais de 10 anos de experiência com grafite, que surgiu a iniciativa de levar o MUDA às ruas. A partir daí, a empolgação do time de artistas só cresceu, impulsionada pela adrenalina, pela diversão e pelo prazer de causar uma verdadeira MUDAnça na cidade. E as transformações foram tão marcantes que o coletivo conquistou admiradores e, assim, espaço para criar painéis até mesmo dentro de casas, apartamentos e mostras importantes, como a Casa Cor RJ.

A proposta do grupo agora é manter as intervenções na rua, é claro, mas também se dedicar aos projetos de design e construção civil, desenvolvendo estampas e padrões únicos, e aproximando ainda mais arquitetura e arte.

Gostou? Então veja muitos outros trabalhos do MUDA no site oficial, com fotos em alta resolução e tudo mais.

Sexta Inspirada! Jardim Vertical

Não é de se estranhar que os jardins verticais tenham conquistado tantos adeptos. Já que as cidades ficam cada vez mais cinzas e a maioria das casas e apês não tem quintais ou varandas, a melhor solução é apelar pras paredes e cobri-las de verde. A crescente busca por estar mais próximo da natureza é uma tendência que, ao que tudo indica, ainda estará presente por muitos anos. Quem sabe num futuro próximo todo mundo não terá um jardim vertical?

Verde ao redor da piscina

Para aproveitar ao máximo a generosa área externa com piscina, a moradora desse imóvel sabia que precisaria de um profissional talentoso para conceber um paisagismo de encher os olhos. Sem hesitar, ela logo contratou o experiente Gilberto Elkis, que bolou um jardim exuberante, com muros repletos de espécies em uma grande variedade de cores e folhagens.

Blocos invertidos e fundo roxo

Algumas ideias surgem assim mesmo, vemos em algum lugar e nos empolgamos pra repetir em casa. Foi assim com a dona de uma residência em São Paulo. Certo dia ela viu o paredão de uma loja com blocos invertidos e vasos encaixados, achou lindo e pediu um igual pras meninas da Casa 14 Arquitetura, responsáveis pela reforma. O tom de roxo foi só pra trazer ainda mais graça.

Vertical e suspenso

Quem já leu aqui no REFERANS sobre os Woolly Pockets sabe que esse produto versátil é a alternativa perfeita pra criar uma paisagem vertical sem causar um rombo no orçamento. Infelizmente – pelo menos até onde eu sei –, eles ainda não são vendidos aqui no Brasil. Mesmo assim, vale se inspirar nos cenários que a empresa cria para divulgar os diversos modelos disponíveis, como esse suspenso, feito pra ser pendurado no teto.

Spa particular

Quando precisa de bons momentos de relaxamento, Cynthia Chua, dona de uma rede de spas em Singapura, se refugia em sua sala de banho ao ar livre. O tamanho da abertura no teto para a entrada de luz do sol nem precisou ser muito grande, apenas o suficiente para cobrir toda a banheira de pedra. Assim Cynthia pode tomar longos banhos com vista para o céu. Certamente um cantinho pra se esquecer do mundo.

Destaque na Casa Cor

Ultimamente, em todas as edições da Casa Cor, seja em São Paulo ou na Bahia, os jardins verticais marcam presença em pelo menos uns dez projetos. No ano passado, os arquitetos Paulo Rosenstock e Luciana Blagits usaram samambaias viçosas para trazer vida ao Home Theater da mostra em Santa Catarina. Já na edição carioca desse ano, uma parede verde valoriza a Praça Casa Cor, ambiente assinado pelas paisagistas Marisa Lima e Emmilia Cardoso.

Fachadas vivas

E quem disse que eles só podem ser usados no interior das casas? Fachadas inteiras, de residências e até de grandes prédios, já receberam espécies verdejantes, transformando a paisagem urbana. Eis aqui dois exemplos incríveis: a Casa JH, com arquitetura idealizada pelo escritório Bernardes & Jacobsen e paisagismo concebido por Gica Mesiara, e o projeto do estúdio Samyn and Partners, com muros vivos e recortes fechados por vidro.

Além das casas

Os espaços comerciais também não ficam de fora. No aeroporto de Biggin Hill, próximo a Londres, os designers do estúdio SHH incluíram um jardim vertical no lounge para os passageiros VIP da companhia aérea Rizon Jet. Agora até mesmo as vitrines de lojas estão exibindo plantas variadas, caso da Replay, em Barcelona.

Leia também: Sexta Inspirada! Jardins e Áreas Externas.

Loft por Pedro Lázaro

Construída para a mostra Casa Cor Minas Gerais de 2009, a caixa de madeira que abrigou o loft assinado por Pedro Lázaro era uma estrutura temporária e desmontável, mas que poderia facilmente ser adaptada a uma casa permanente e muito estilosa. Em todo o projeto o arquiteto deu prioridade ao mobiliário de design nacional e ao uso de materiais sustentáveis, como a peroba de demolição e os restos de telhado que revestiam toda a fachada.

* Clique nas imagens para vê-las em um tamanho maior. Vale a pena!

Posicionado no topo de uma elevação do terreno, o loft ainda se beneficiava da vista para a lagoa Pampulha, em um cenário contemplativo que emanava tranquilidade. Os móveis, que incluíam peças assinadas por Carlos Motta e Etel Carmona, foram todos produzidos com madeiras certificadas, reforçando o respeito à natureza.

Fotos por Jomar Bragança via São Romão

%d blogueiros gostam disto: