Posts Tagged ‘ cinza ’

ACHADOS DA SEMANA | FELTRO

{ Durante a mostra Maison et Objet, que aconteceu em Paris, em Janeiro, a Ligne Roset foi uma das grandes marcas a apostar no feltro. Versátil, o material está sendo explorado por designers do mundo todo, revestindo mesas, cadeiras, poltronas, luminárias e até mesmo espaços inteiros. Se lembram do escritório que postamos aqui? Onde tudo é de feltro? }

Dois dos maiores lançamentos da Ligne Roset durante a feira foram os vasos Asira, de Aurelie Tu, e a chaise Felt, de Delo Lindo | O sofá Snoopy, criado pelo estúdio Iskos-Berlin para a marca Versus, lembra o famoso cachorrinho de perfil | O pendente Tutu também é do Iskos-Berlin | A poltrona Valdemar da Artifical/form tem o espaldar alto e os braços laterias também | À venda na loja Micasa, a poltrona Peacock é da Cappellini | Na coleção The Coiling Collection, idealizada pelo estúdio Raw Edges, tiras de feltro envolvem móveis de vários formatos.

Anúncios

SEXTA INSPIRADA! PAREDES

Toda casa tem paredes estratégicas que não podem ficar em branco, pode ser no hall de entrada, ao lado da mesa de refeições ou atrás do sofá. Em locais de destaque, elas clamam por um detalhe especial, uma composição de quadros, um revestimento bem diferente ou pelo menos uma pintura marcante. A seguir, várias sugestões bacanas pra fazer brotar a inspiração.

Atraente ao toque… e ao olhar

A casa da arquiteta e designer italiana Monica Armani é um reflexo de tudo aquilo em que acredita. A seu ver, os ambientes só se tornam atemporais quando preservam espaços em branco, vazios, mas sem deixar de passar uma sensação de aconchego, como todo bom lar, é claro. Talvez seja por isso que ela tenha escolhido um revestimento tão sensível pra cobrir algumas de suas paredes. Aplicado em diversas camadas, o feltro cinza transformou um espaço vazio sem graça em uma superfície gostosa de tocar.

Resgatando memórias

Acho que é seguro dizer que Marcelo Rosenbaum é o designer de interiores mais conhecido do Brasil. E não é só pela participação em um programa de televisão não. Seu talento e originalidade vão muito além disso, como também o compromisso de tornar o design mais acessível. Em seu próprio lar doce lar, Marcelo usou ideias irreverentes pra criar o clima perfeito pra sua família. No living, um desses detalhes inusitados: paredes de fulget preto que lembram a casa de sua avó.

Cor neles!

Quem é que não gosta de tijolinhos? Pessoalmente, eu adoro, mas acho que eles ficam beeem mais divertidos quando são pintados de preto, rosa, azul, roxo… Essa sala de jantar é uma prova de que nem sempre esse acabamento — ou falta de — precisa ter aquela cara rústica. Aqui ele aparece em versão contemporânea, mas ainda assim transmite aconchego.

Bloquinhos de madeira

Calma, calma… Não estamos falando daqueles bloquinhos de montar de criança – se bem que já vi um projeto assim em algum lugar. Bom, os blocos em questão são uma invenção divertida do escritório Wolveridge Architects, que não hesitou e acabou revestindo toda uma parede com acabamentos quadrados de madeira envelhecida. Instaladas sobre a lareira da sala de jantar, os toquinhos revelam um jeito atual de explorar o charme do rústico.

De bom tom

Ok, pintar uma das paredes de um cômodo de alguma cor forte não é nenhuma novidade. Mas, esse caso é diferente. Além de o tom escolhido ser um ousado laranja vibrante, a parte mais legal é que a pintura não se limita apenas à parede em si, mas também cobre os objetos e equipamentos que ficam presos a ela, camuflando até mesmo as coisas de maior volume, como o aquecedor.

High Low

O sofá da sala pode ser caro, de alguma marca internacional famosa como Moroso ou Ligne Roset, mas quem disse que o resto das peças não pode ser barato? Essa é a brincadeira do High Low. No projeto de pegada sustentável da arquiteta Juliana Traldi, o high são os itens do mobiliário, enquanto o low é o revestimento da parede. Não parece, mas ela está forrada de rolos de papelão, o que cria uma textura de tubos interessante e original.

Mural de referências

Já imaginou que as paredes podem também servir como enormes murais? Colar fotos direto sobre a pintura pode parecer loucura pra alguns, mas muita gente faz isso e adora o resultado. Lá nos países escandinavos, já até virou tendência pregar fotos, pôsteres e estampas gráficas direto com fita adesiva. Estampadas ou em cores neon, essas fitas acabam se tornando mais um charme da composição.

Fotos via Elle Decor It | Casa Claudia | Archdaily | Pinterest

ACHADOS DA SEMANA

Sofá Lub disponível na loja Le Design // Luminária Alizz T Cooper assinada por Ingo Maurer // Almofada Remix Cushion da marca Ferm Living // Cama Bug criada por Paola Navone para a Poliform // Luminária Blanket, um cobertor que acende idealizado por Ditte Hammerstrom // Almofada Dotty da Ferm Living // Mesa Island da Cappellini, à venda na Micasa // Sofá MH 4038 da rede de lojas Sala Bella

APARTAMENTO HARMONIA DO COLETIVO WHYDESIGN

Referências ao movimento brutalista estão por toda a parte nessa cobertura de 132 m² na Vila Madalena, em São Paulo. Da laje original às vigas de concreto, o apê expõe sem medo – e sem maquiagem – todos os detalhes que definem sua estrutura. A reforma às avessas, que durou cerca de 5 meses, foi comandada pelo coletivo WHYDESIGN, formado por Guto Requena, Maurício Arruda e Tatiana Sakurai, todos já conhecidos pela busca constante por novos conceitos.

Claro que os moradores, um administrador paulistano e um advogado/designer brasiliense, tiveram grande participação no resultado final da decoração, que ganhou ares masculinos não só pelos acabamentos escolhidos, mas também pelo jeito prático e “sem frescura” de distribuir os ambientes. Diversos tons de cinza orientam a paleta de cores sóbria, suavizada pelas paredes de alvenaria e azulejos brancos.

Como já é comum na maioria das casas, a cozinha integra-se ao living, deixando o andar de baixo quase sem paredes, totalmente aberto. Pra reforçar a sensação de amplitude e unidade visual, os designers propuseram o uso de um mesmo piso em todo o apartamento, o ladrilho hidráulico cinza, que reveste inclusive a suíte e o closet, no pavimento superior.

Ainda na área social, a iluminação também chama a atenção, formada por calhas em ziguezague que abrigam lâmpadas fluorescentes de efeito amarelado. Ali, a escada de formas orgânicas atua como protagonista ao lado de móveis de design assinado, como as ousadas peças concebidas por Rodrigo Almeida.

Com teto de madeira pra proporcionar mais aconchego, o andar de cima também traz soluções arquitetônicas interessantes. A primeira delas é a ligação entre dormitório e sala de banho, que se dá através de portas pivotantes escuras. A segunda, e ainda mais surpreendente, é o box do banheiro, fechado por uma folha de vidro que revela a vista para a varanda – e para a cidade lá fora.

Fotos via Flodeau

SEXTA INSPIRADA! SALAS DE JANTAR

Nos lares contemporâneos, a sala de jantar conquistou definitivamente seu espacinho na área social, o que fez com que esses ambientes ficassem cada dia mais bonitos. Além disso, as grandes mesas passaram a ser usadas todos os dias, e não apenas em eventos ou festas pros amigos. Descubra cinco projetos surpreendentes que deixam a melhor hora do dia ainda mais gostosa.

Vitrine de memórias

Despojado, o apartamento da jovem arquiteta Gabriela Marques tem uma área social totalmente livre de paredes, onde cozinha, sala de jantar e home theater convivem em harmonia. Atrás da mesa de refeições, uma grande estante de marcenaria conta com diversos nichos quadrados onde Gabi expõe peças de decoração e itens queridos garimpados em viagens. Conheça o apê completo no Casa de Valentina.

Identidade brasileira

Idealizada por ninguém menos que o grande arquiteto modernista Paulo Mendes da Rocha, essa casa em São Paulo possui aberturas estratégicas que permitem a entrada de luz do sol em praticamente todos os cômodos. Com acesso a um pequeno terraço interno, a sala de jantar é um destaque à parte, com seu piso de azulejos hidráulicos coloridos e cadeiras descoordenadas.

Imponente e colorida

A tarefa da badalada designer Ilse Crawford não era fácil: como modernizar um casarão georgiano na Inglaterra sem comprometer a importância histórica do imóvel? Seus muitos anos de experiência na área a ajudaram a bolar um projeto definitivamente único. Uma das mudanças mais drásticas propostas por Ilse foi a de transformar o antigo salão de festas na sala de jantar com cozinha integrada. Pra arrematar a mistura entre presente e passado, cadeiras coloridas fazem par com um enorme espelho de moldura dourada.

Inspiração nórdica

Branco total. No piso de madeira pintada, nos móveis e nas paredes, a cor domina o espaço clicado pela fotógrafa Petra Bindel. A iluminação natural invade a sala através de uma porta envidraçada e reforça ainda mais a sensação de amplitude, além de valorizar o estilo escandinavo da residência.

Atmosfera masculina

Em tons sóbrios e escuros, o cinza e o marrom funcionam como pano de fundo para a mesa de jantar com cadeiras de madeira em um apartamento de ares masculinos na Bélgica. Nem mesmo o teto desse cômodo aberto é branco. Também cinza, ele destaca o divertido arranjo de luminárias pendentes pretas, fixadas como se estivessem todas interligadas, com os fios aparentes. Quem assina o décor é o estúdio Ooze.

Fotos via Casa de Valentina | Casa Vogue | Petra Bindel | Dezeen

BUNKER ALEMÃO VIRA CASA MINIMALISTA

Por mais que a ideia de viver em um bunker não seja nada convidativa, um casal amante da arte decidiu arriscar. Juntos conseguiram transformar a história de um abrigo em Berlim usado durante a Segunda Guerra Mundial, convertendo-o em uma morada autêntica, inspirada pelos conceitos minimalistas de Mies van der Rohe e Tadao Ando.

A ampliação dos vãos das janelas foi uma das prioridades da reforma, já que os proprietários optaram por revestir as paredes internas de concreto, o que certamente deixaria os ambientes escuros se houvesse ausência de luz natural. Na ampla área social integrada à sala de jantar, as protagonistas são a lareira suspensa e a preciosa coleção de arte contemporânea, que contracenam com peças de antiquário e clássicos do design como as cadeiras de Warren Platner.

O piso de mármore percorre todos os cômodos, completando a equação arquitetônica atemporal que mistura tons de cinza, materiais nobres e estética minimalista.

 

Escritório de Feltro

Diante do desafio de conceber um escritório que fosse estimulante e divertido e, ao mesmo tempo, profissional e sério, os designers do estúdio i29 se viram obrigados a buscar uma solução inovadora e versátil.

Os clientes, a agência de marketing digital Tribal DDB Amsterdam, tinham ainda muitos outros problemas a serem resolvidos, como a necessidade de espaços amplos e multifuncionais para incentivar a interação dos funcionários, mantendo o isolamento acústico de cada unidade de trabalho e a concentração individual. Outro importante ponto levado em conta foi o fato de que a construção original não permitia muitas intervenções estruturais.

Parecia quase impossível encontrar uma alternativa para tantas questões complicadas até que os profissionais chegaram à conclusão de que o material mais apropriado para o projeto seria um tecido, mais precisamente o feltro. Além de ser um revestimento flexível, que pode ser usado no piso, no teto, nas paredes e nos móveis, o feltro também é resistente, ecofriendly, não inflamável e ainda absorve o som, funcionando como um poderoso isolante.

As paredes brancas e o design linear dos móveis contrastam com a suavidade do acabamento cinza, compondo ambientes contemporâneos e mutáveis.

%d blogueiros gostam disto: