Posts Tagged ‘ ladrilho hidráulico ’

TOP 5 | LADRILHOS HIDRÁULICOS

Quem resiste a um lindo piso, parede ou painel coberto por ladrilhos coloridos e estampados? Herança européia, esses revestimentos surgidos no século XIX estão mais atuais do que nunca! Veja 5 opções de como usá-los na decoração e vá garimpar os seus.

{ Nunca esqueço do dia em que estava num restaurante com meu pai e ele me explicou direitinho como os ladrilhos hidráulicos eram feitos e como o trabalho era delicado e artesanal… Desde então, sou apaixonada por eles. }

# 1 No home office da casa projetada pelo escritório ASKarchitects na Grécia, o piso ganhou um desenho floral em tons de cinza e branco. Os móveis e objetos contemporâneos quebram o ar tradicional da composição.

# 2 Esse pequeno nicho na parede da cozinha não teria nem metade do charme se não fosse pelo acabamento de ladrilhos. Ao invés de armário, prateleiras sem portas para revelar o fundo delicado em rosa, vermelho e preto.

# 3 Já na cozinha decorada pela dupla do estúdio Arquitetura Paralela, o piso com detalhes geométricos é o grande chamariz do ambiente. Por conta da ausência de armários sob a pia, a estampa fica ainda mais visível.

# 4 A casa reformada pelo designer Francisco Cálio no litoral paulista guarda muitas histórias. Algumas delas ficam expostas nos pisos, que revelam misturas de ladrilhos de épocas e estilos diferentes. Quase como um registro histórico particular.

# 5 Feitos à mão, os ladrilhos da marca Marrakech Design são assinados por grandes designers, como os arquitetos suecos do Claesson Koivisto Rune. O modelo abaixo é da linha Stone.

Fotos via Yatzer | Pinterest | Casa de Valentina | Evelyn Muller | The Bohmerian

CASA DE 1969 POR PAULO MENDES DA ROCHA

Se compararmos o endereço fixo de Houssein Jarouche em São Paulo com sua segunda casa na cidade, pensada como um retiro para os finais de semana, certamente vai parecer que estamos falando de duas pessoas completamente diferentes. Enquanto o apartamento se assemelha a um loft, totalmente integrado e recheado do melhor do design contemporâneo, a residência tem espírito brutalista e representa uma época de ouro da arquitetura brasileira. { Relembre o projeto do apê aqui }

Dono da Micasa, simplesmente uma das lojas mais incríveis do país e representante das maiores marcas de mobiliário do mundo, Jarouche sabe distinguir um bom desenho de longe. Não é à toa que ele agora passa seus dias de descanso em um imóvel concebido por ninguém menos que o ganhador do Prêmio Pritzker, Paulo Mendes da Rocha. O arquiteto, hoje já com seus 80 e tantos anos, foi convidado pelo atual proprietário a comandar uma reforma mais de 4 décadas depois de ter concluído o projeto original. É por isso que essa é uma casa tão especial. Afinal, não é sempre que se pode ‘reescrever’ a própria história.

Como em toda obra-prima, o empresário sabia que seria um pecado interferir em qualquer detalhe que fosse dessa criação. Assim a tal reforma foi, na realidade, uma restauração, onde cada porta, revestimento ou cor que tinha sido alterado ao longo dos anos, voltou ao seu estado inicial. Com vidros trocados e alguns acabamentos refeitos, a única mudança aconteceu de acordo com um desejo do próprio arquiteto, um desejo de 45 anos atrás: a piscina foi finalmente pintada de preto.

Cobrindo o piso de praticamente toda a área social, os ladrilhos hidráulicos em branco, azul, amarelo e vermelho trazem um toque de delicadeza em um cenário quase todo dominado por elementos fortes e rígidos, como as instalações elétricas e canos aparentes. Já o mobiliário, com a maioria das peças vindas da Micasa, é claro, foi escolhido pelo proprietário de forma a casar com o conjunto arquitetônico, sem se sobrepor e tampouco passar despercebido.

Além do imenso valor histórico, o que mais encantou o morador foi a maneira com que a construção parece flutuar sobre o terreno acidentado. Suspensa por quatro pilares de concreto, material que reveste toda a fachada como se fosse um imenso bloco, a casa permite que as janelas sejam altas o bastante para apreciar as copas das árvores do bairro e as plantas do jardim – apesar de alguns prédios vizinhos trazerem à tona a realidade de que, afinal, ainda estamos em São Paulo.

Durante toda essa operação de restauro, Paulo Mendes da Rocha contou com a ajuda do estúdio de um ex-aluno seu, Eduardo Colonelli. Ao lado do mestre, Eduardo ajudou a dar vida nova à casa que resume o estado da arte da arquitetura brasileira.

Fotos via Interior Design

RESTAURANTE CAPANNA NA GRÉCIA

O clima caloroso e ensolarado da Grécia faz com que as refeições ao ar livre sejam um hábito muito comum na região, inclusive durante a noite. Esse foi o ponto de partida para os designers do K-studio desenvolverem o conceito do restaurante e pizzaria Capanna, instalado em um imóvel de esquina no bairro Kolonaki, no coração de Atenas. Ladrilhos estampados e acabamentos em madeira evocam tradição e criam uma aconchegante atmosfera familiar.

Como se estivesse dando as boas-vindas a quem passa pela rua, a fachada do Capanna possui imensas esquadrias que se dobram para cima, transformando a calçada em uma extensão do salão principal. Já a porta de entrada é pequena como a de uma simples morada, com fechamento em vidro e maçaneta de porcelana, reforçando o ar caseiro e informal do lugar.

Além dos materiais comumente utilizados nas construções gregas, o restaurante traz também referências às vilas italianas. Azulejos cimentícios, textura na parede, mármore travertino e ladrilhos hidráulicos com motivos em terracota remetem a eras passadas sem comprometer a estética contemporânea do projeto. A essa mistura de elementos somam-se alguns móveis de desenho escandinavo e as cadeiras descombinadas – algumas com look industrial – garimpadas pelos designers.

Sobre as mesas principais, uma divertida composição de pendentes explora o pé-direito duplo e complementa a iluminação indireta. O mezanino, que abriga cozinha, estoque e banheiros, é um grande bloco revestido de antigas janelas venezianas francesas, que correm pela parede e tomam o teto sobre o bar e o forno a lenha.

É assim, unindo múltiplas heranças da cultura européia que o Capanna estabelece uma harmonia entre passado e presente, interior e exterior, tradição e inovação.

Fotos via Yatzer

APARTAMENTO HARMONIA DO COLETIVO WHYDESIGN

Referências ao movimento brutalista estão por toda a parte nessa cobertura de 132 m² na Vila Madalena, em São Paulo. Da laje original às vigas de concreto, o apê expõe sem medo – e sem maquiagem – todos os detalhes que definem sua estrutura. A reforma às avessas, que durou cerca de 5 meses, foi comandada pelo coletivo WHYDESIGN, formado por Guto Requena, Maurício Arruda e Tatiana Sakurai, todos já conhecidos pela busca constante por novos conceitos.

Claro que os moradores, um administrador paulistano e um advogado/designer brasiliense, tiveram grande participação no resultado final da decoração, que ganhou ares masculinos não só pelos acabamentos escolhidos, mas também pelo jeito prático e “sem frescura” de distribuir os ambientes. Diversos tons de cinza orientam a paleta de cores sóbria, suavizada pelas paredes de alvenaria e azulejos brancos.

Como já é comum na maioria das casas, a cozinha integra-se ao living, deixando o andar de baixo quase sem paredes, totalmente aberto. Pra reforçar a sensação de amplitude e unidade visual, os designers propuseram o uso de um mesmo piso em todo o apartamento, o ladrilho hidráulico cinza, que reveste inclusive a suíte e o closet, no pavimento superior.

Ainda na área social, a iluminação também chama a atenção, formada por calhas em ziguezague que abrigam lâmpadas fluorescentes de efeito amarelado. Ali, a escada de formas orgânicas atua como protagonista ao lado de móveis de design assinado, como as ousadas peças concebidas por Rodrigo Almeida.

Com teto de madeira pra proporcionar mais aconchego, o andar de cima também traz soluções arquitetônicas interessantes. A primeira delas é a ligação entre dormitório e sala de banho, que se dá através de portas pivotantes escuras. A segunda, e ainda mais surpreendente, é o box do banheiro, fechado por uma folha de vidro que revela a vista para a varanda – e para a cidade lá fora.

Fotos via Flodeau

Mix de referências | Apê em Porto Alegre

Fugindo das regras estéticas e daquela decoração padronizada, os designers do Estúdio Cláudio Resmini criaram um projeto onde a mistura de elementos de origens diversas dá vida a um lar cheio de personalidade em Porto Alegre. Entre obras de arte irreverentes e móveis de design em tons sóbrios, peças contemporâneas e antigas – como o grande relógio de madeira – convivem em harmonia, compondo um mix eclético e bem-humorado.

No piso do living, um verdadeiro atrevimento: ao invés de assoalho, mármore ou porcelanato, o acabamento eleito foi o ladrilho hidráulico. Em branco, verde e vermelho, a estampa do revestimento ajudou a definir toda a paleta de cores da residência, inclusive da marcenaria. Com um piso lindo desses, seria até um insulto usar tapete!

Fotos por Evelyn Muller

Sexta Inspirada! Casa Cor Minas Gerais

No dia 20 de Agosto foi aberta ao público a mostra Casa Cor Minas Gerais 2011, que comemora sua 17ª edição em uma área de 30 mil m² nos arredores de Belo Horizonte. São mais de 80 profissionais responsáveis por 55 espaços que reúnem ideias, tendências e o melhor do design de interiores do estado. Escolhemos os seis projetos mais bacanas pra dar a vocês um gostinho de tudo o que o evento reserva.

* Clique nas imagens para vê-las em um tamanho maior.

Sala de TV por Bernadette Correa

Premiada como o Melhor Projeto da mostra, a Sala de TV idealizada por Bernadette Correa une sofisticação e estilo em uma atmosfera casual e familiar. A grande vedete do ambiente é o Lyptus, madeira ecofriendly que reveste as paredes, o teto e o piso, criando uma verdadeira ‘caixa’ onde móveis aconchegantes contracenam com luminárias de grandes marcas. Outro ponto de destaque é a estante com nichos iluminados.

Living do Enólogo por Angélica Araújo

No Living do Enólogo, de Angélica Araújo, o cinza domina a paleta de cores e traduz a sobriedade de um cômodo masculino, destinado aos amantes do vinho e seus momentos de lazer. Na mesa de jantar, cadeiras de palhinha e um móvel espelhado que funciona como bar e adega, armazenando as garrafas de bebida.

Loft 43 por Luís Fábio Rezende

Elegância é a palavra-chave do Loft 43, assinado por Luís Fábio Rezende. Móveis contemporâneos e clássicos receberam revestimentos luxuosos como camurça, couro, seda e até mesmo folhas de ouro velho. Nas paredes, painéis em laca preta brilhante, espelhos, vidro preto e pastilhas em tons de bronze. Atrás do sofá, uma pequena copa/bar tira proveito da metragem reduzida usando um aparador de Jader Almeida como mesa.

Sala de Banho por Christianne Taranto

Apesar de ser chamado de Sala de Banho, o espaço projetado por Christianne Taranto é bem mais do que isso. Além da área destinada à banheira e ao chuveiro, a profissional planejou também uma bancada de maquiagem, uma cama de massagem e um pequeno estar com direito à televisão e lareira. Cobrindo uma das paredes, os ladrilhos hidráulicos especiais com desenhos de rosas em alto relevo garantem a feminilidade da composição.

Sala de Estar por Estela Netto

Criar um lugar para a família se reunir e desfrutar de bons momentos juntos. Foi com esse objetivo que a arquiteta Estela Netto concebeu a Sala de Estar, um ambiente que prima pelo conforto e bem-estar. Com dimensões generosas e tons neutros, os móveis usados foram desenhados pela própria arquiteta, assim como o painel de ônix iluminado. Próximo à televisão, um jardim vertical de samambaias traz um charme tropical.

Spa por Pedro Lázaro

Sem dúvida o Spa de Pedro Lázaro é um dos espaços mais interessantes de todo o evento. Sobre o fundo branco dos revestimentos, toques de cor aparecem na bancada amarela que abriga a cuba e na estrutura preta que funciona como divisória vazada. Impossível não notar o incrível projeto de iluminação: sancas estreitas recortam as paredes e o teto criando um efeito futurista.

Para maiores informações, como datas, horários e valores, visite o site oficial.

Fonte Imagens: Casa e Imóveis UOL

Sexta Inspirada! Salas de Almoço

Menores e mais aconchegantes do que os ambientes de jantar, as salas de almoço são usadas com mais freqüência e por isso devem ser mais práticas, o que não significa que precisem ser menos atraentes ao olhar. Confira seis projetos que promovem a união em torno da mesa, mesmo nas refeições mais rápidas.

1. Na casa do decorador Montse Esteve em Barcelona, a sala de almoço fica dentro da cozinha e possui uma atmosfera intimista e rústica. Sobre a mesa de madeira com cadeiras de cores diferentes, dois pendentes de estilos distintos trazem ainda mais descontração. Vale ressaltar também o piso de ladrilhos hidráulicos e o teto abobadado de tijolinhos.

2. A convite da revista Minha Casa, o criativo designer Marcelo Rosenbaum, em parceria com sua sócia Adriana Benguela, idealizou um ambiente usando ideias econômicas e cores alegres. Para a área de refeições foram usadas cadeiras verdes e uma lanterna japonesa como pendente, mas o detalhe mais bacana é a parede feita de blocos de concreto pré-moldado e vidro, favorecendo uma iluminação natural abundante. O sistema se chama Winblok e é vendido pela marca Wincret.

3. No projeto de uma residência no bairro nobre de Upper East Side, em Nova York, o designer Philip Galanes criou uma sala de almoço clara e iluminada. O profissional optou por revestimentos brancos e móveis que são clássicos do design, como a mesa Tulipa, de Eero Saarinen, e as cadeiras Bertoia, de Harry Bertoia, acrescentando pitadas de charme com lanternas marroquinas e almofadas de estampa rosada.

4. Engajada em projetos DIY, a blogueira sueca Anna-Malin viu uma estampa bacana em uma revista e de repente já se inspirou para bolar uma obra de arte com papel e tecido para enfeitar a parede de sua sala de almoço. A cor cinza é a sua preferida e combinou direitinho com o fundo branco das paredes e móveis e com as cadeiras Tolix pretas.

5. Em uma casa em Toronto, no Canadá, os arquitetos do estúdio GH3 conceberam uma sala de refeições que fica logo em frente à cozinha, instalada em um desnível em relação ao piso do living. A parede de vidro que divide os ambientes recebeu uma estampa feita de adesivos casando com o efeito ‘rendado’ do pendente branco.

6. A marca de papel de parede Mr. Perswall, da Suécia, possui um diferencial: seus produtos podem ser personalizados com mensagens pessoais dos clientes. A missão da empresa é incorporar os valores e histórias de cada lar nos revestimentos. O espaço abaixo foi produzido para o catálogo da marca e reproduz uma sala de almoço convidativa.

%d blogueiros gostam disto: