Posts Tagged ‘ Roberto Migotto ’

SEXTA INSPIRADA! PÉ-DIREITO DUPLO

{ Clique na imagem para ler todas as matérias da coluna }

Todo mundo gosta de pé-direito alto, certo? Mas não é todo mundo que sabe como aproveitar esses privilégios arquitetônicos – afinal, são pra poucos. Selecionamos alguns projetos super bacanas com propostas ousadas e estilosas para ambientes com o teto nas alturas. Confira!

A beleza da simetria

O arquiteto Roberto Migotto dispensa apresentações. Todo mundo já sabe que ele é sofisticado até o último fio de cabelo e seu bom gosto é inquestionável. Mais um exemplo desse talento sem igual é essa residência com living amplo e integrado, onde cada detalhe reflete o cuidado de Roberto em criar espaços atraentes e impactantes. Confortáveis, os móveis ganharam acabamentos em tons neutros, que variam entre marrons e brancos.

 Iluminação em foco

Instalada em uma construção secular, mais precisamente o Palacete Lineu de Paula Machado, a Casa Cor RJ de 2011 foi marcada pela mistura da arquitetura do século XIX com a decoração contemporânea. Um dos grandes destaques do evento foi o living concebido por Gisele Taranto, onde esse mix de épocas também se fez presente. Para valorizar o pé-direito generoso, a arquiteta bolou uma criativa instalação de luminárias pendentes.

Banco criativo

De frente para o mar, um enorme prédio na cidade de Elsinore, na Dinamarca, um dia já foi um galpão destinado à construção naval. Felizmente, o governo e os arquitetos do estúdio AART conseguiram dar uma utilidade bem mais nobre à estrutura, transformando-a no centro cultural The Culture Yard. Um dos corredores, repleto de luz natural que entra pela fachada de vidro, ganhou um banco alto com formas geométricas, valorizando o pé-direito.

Ladeado pelo jardim

Enormes panos de vidro nas duas laterais fazem com que esse ambiente pareça estar no meio do jardim. E a ideia do arquiteto Marco Aurélio Viterbo era mesmo essa, criar um living onde a integração visual com a área externa da casa fosse constante. Para compor a decoração sofisticada e atemporal, foram selecionadas peças de desenho contemporâneo e revestimentos em cores neutras, garantindo que o tom que predomina seja o verde lá fora. { Conheça o projeto completo no Casa de Valentina }.

Escada estratégica

Em alguns espaços, o pé-direito duplo precisa ser aproveitado ao máximo, seja para expor grandes coleções ou até mesmo para a instalação de armários até o alto, multiplicando os cantinhos pra esconder louças ou livros. O porém é que assim tudo o que está guardado fica literalmente inalcançável. É nessas horas que entra em cena uma escada esperta com rodinhas na base e pronto! Problema resolvido.


A estante é a protagonista

Saber aproveitar cômodos com tetos altíssimos não é tarefa fácil. Por isso, assim que se deparou com o pé-direito de 5 metros da sala, a jovem dona desse apartamento em um bairro nobre de São Paulo logo recorreu à ajuda da arquiteta Paula Magnani. A proposta da profissional foi usar uma enorme estante branca como divisória entre o living e o home office, que fica logo ao lado. Alternados e de tamanhos diferentes, os nichos abertos e fechados dão movimento à peça de marcenaria.

Um hotel descontraído

Cores fortes como azul, verde e vermelho são elementos constantes no décor do hotel Hi em Nice, no litoral da França. A proposta desse hotel é diferente da dos outros. Nele não te fazem sentir em casa, e também não fazem sentir-se como um convidado de luxo. Lá no Hi a ideia é favorecer a convivência, a troca de experiências e as novas descobertas. Talvez seja por isso que os espaços sociais sejam tão interessantes. O projeto é de Matali Crasset.

Fotos via Folha Vitoria | Loveisspeed | Dezeen | Casa de Valentina | Pinterest | Casa Claudia | Abcsalles

Anúncios

SEXTA INSPIRADA! VERMELHO

Uns amam, outros odeiam. O vermelho, forte e marcante, nunca passa batido. O que dizer então de espaços quase que inteiramente tomados pela cor e suas nuances? No mínimo instigantes. Descubra como o vermelho total pode funcionar em mostras, escritórios, escolas, hotéis e até mesmo em casas.

Presença de impacto

Não tinha como não se surpreender. Quem quer que entrasse no lounge concebido pelo arquiteto Leo Romano durante a Casa Cor Brasília de 2010, tinha os olhos invadidos pelo forte vermelho que reinava absoluto, cobrindo paredes, teto e objetos. Móveis em amarelo e o enorme sofá multicolorido no centro do ambiente funcionavam como pontos de destaque, atraindo o olhar. Ousado, Leo fez questão de marcar presença na mostra criando um projeto inesquecível.

Mistura de texturas

Do lado de fora, o branco das ruas cobertas de neve — cena comum durante os invernos da cidade de Bruxelas, na Bélgica. Já no interior do loft, um brusco contraste: um cômodo quase totalmente vermelho, a não ser pelo piso. Alain Gilles, designer responsável pelo décor do imóvel, aproveitou as diferentes texturas das paredes para que o resultado não fosse monótono. Assim, madeira, tijolinho e porta ganharam suas versões avermelhadas.

Luz no fim do túnel

O corredor e a sala de almoço desse apartamento são literalmente um túnel, revestido com exatas 36 portas resgatadas de outra construção. A solução um tanto quanto improvável foi ideia do estúdio LOT-EK e do empreiteiro Andreas Scholtz, que buscavam uma maneira de tornar esse pequeno espaço mais convidativo para os moradores. Por trás do acabamento brilhante, nichos planejados acomodam objetos e louças.

Encontro de trabalho

Prestigiado com diversos prêmios na área, o estúdio Ministry of Design, com base em Singapura, não podia fazer feio em sua própria “casa”. E não fez. As instalações do novo escritório, cuja obra foi finalizada em 2010, são dinâmicas e inovadoras. Uma das saletas, ambiente de encontro da equipe, ganhou acabamento e estofados vermelhos, pra estimular animadas conversas.

Berço de ideias

Com o objetivo de incentivar os alunos do primeiro ano do curso de Engenharia, a University of South Australia decidiu conceder-lhes um centro de aprendizado irreverente. O escritório escalado para a concepção do espaço foi o Woods Bagot, especialista em projetos corporativos e institucionais. Em uma proposta divertida, parte do núcleo criativo possui placas vermelhas como revestimento e móveis também nessa cor.

De volta para o futuro

Quando foi inaugurado, em 2005, o hotel Puerta America, na Espanha, causou rebuliço. Isso porque os diversos andares do edifício foram divididos entre grandes estrelas da arquitetura, como Zaha Hadid, Ron Arad e Norman Foster, que realizaram surpreendentes propostas futuristicas nas suítes e corredores. Além do mais, foi nos cômodos do hotel que o público pôde descobrir toda a versatilidade do Corian, material usado em paredes e móveis para criar verdadeiras esculturas arquitetônicas.

Ahhh, e não esquecemos do ambiente do Roberto Migotto na Hyundai Mostra Black não. Quer revê-lo? Clica na foto!

Top 5 | Samambaias

Depois de terem sido usadas exageradamente durante as décadas de 60, 70 e 80, as samambaias caíram no esquecimento. Até agora!

Expostas em jardins verticais, vasos suspensos e até dentro de móveis, as plantas de ar tropical voltaram a ser tendência, como comentamos na matéria especial Casa Cor SP 2011. Confira 5 exemplos de como usá-las dentro (e fora) de casa. 

# 1 Na cobertura onde a arquiteta Juliana Battaglia vive com a família, o jardim vertical bolado pela paisagista Caterina Poli exibe as folhagens da espécie em variados tons de verde.

# 2 Painéis de muxarabi fazem companhia para as plantas suspensas no dormitório de hóspedes idealizado por Guilherme Torres.

# 3 Em seu ambiente para a mostra Casa Cor Goiás 2011, a designer Rosângela Queiroz elegeu as samambaias devido à sua alta resistência e fácil manutenção. Os arranjos foram dispostos dentro de armários sem portas.

# 4 Até mesmo nos escritórios o verde é benvindo. No espaço de convivência projetado pelos arquitetos do estúdio Woods Bagot os vasos de fibra sintética pairam sobre a mesa e se acumulam em prateleiras de piso.

# 5 O veterano Roberto Migotto usou e abusou da espécie em seu projeto na Casa Cor SP 2008. Logo em frente à cama de casal, a sala de banho ganhou um enorme jardim vertical que explora as texturas das folhas.

Achado

A moringa estampada da loja Od. Design é delicada e já ajuda a entrar no clima.

Sexta Inspirada! Hyundai Mostra Black

Pois é, eu tinha me recusado a pagar R$ 100,00 pra entrar na Hyundai Mostra Black. E realmente não acho que vale a pena esse investimento, pelo menos pra mim, que não sou abastada como a maioria das pessoas que freqüentou o evento. Mas enfim, como ganhei um convite, não podia deixar de ir conferir os feitos de tantos arquitetos e designers importantes. Selecionei aqui os melhores projetos para quem não teve a oportunidade de ir.

O formato butique, com apenas 14 espaços, foi bem interessante porque permitiu que o público apreciasse melhor cada detalhe das composições, das esculturas inusitadas ao bilhete escrito pelo próprio João Armentano, fixado em uma escada.

1. Meu favorito foi o Apartamento em Paris, assinado por Dado Castello Branco. Além de ser um apê completo, com sala de banho, cozinha gourmet e living integrado à suíte, o que chamou minha atenção é que era um lugar real, habitável, sem a pretensão de ser conceitual ou inovador, mas que reflete o verdadeiro apreço do arquiteto pela sofisticação. Os tons de cinza e marrom reforçam a atmosfera elegante e masculina.

2. Logo após a bilheteria, um dos ambientes mais atraentes do evento: o Lounge Garagem, concebido por Fernanda Marques para ser o reduto de um homem moderno, apaixonado por arte e design. Uma surpreendente caixa de vidro de 150m² foi construída para acolher o cenário criado pela arquiteta. Ao redor dessa estrutura, jardins verticais proporcionam privacidade para os preciosos momentos de lazer, como ouvir música e compartilhar um vinho com os amigos.

3. Sendo um dos mais celebrados arquitetos brasileiros da atualidade, Roberto Migotto não podia passar batido em um acontecimento grandioso como esse. Seu dramático lounge cor de sangue foi sem dúvida um dos grandes destaques da mansão, representando toda a ousadia e elegância do profissional, que mistura como ninguém peças contemporâneas e clássicas.

4. Se no ano passado João Armentano causou furor com o seu revolucionário porão na Casa Cor SP, na Hyundai Black ele investiu em um cômodo da casa totalmente oposto: o sótão. Partindo do princípio de que ‘ser simples é um grande luxo’, o arquiteto aboliu qualquer extravagância e apostou na amplitude das paredes e teto brancos e na requintada combinação de móveis de qualidade e obras de arte. Uma imensa bancada suspensa paira sobre o piso de limestone, trazendo ainda mais leveza ao ambiente.

5. Ao final da mostra, os visitantes, cansados de subir e descer escadas, são recebidos em um espaço convidativo e informal, forrado de pufes macios e fotografias de animais. Idealizada pelo baiano David Bastos, a Champanheria de 80m² lembra um bangalô á beira da praia e se integra à área externa através de imensas venezianas de madeira teca, que favorecem a ventilação cruzada e a iluminação natural.

6. Unindo natureza e tecnologia, o jardim principal, criado pelo famoso paisagista Alex Hanazaki, teve o extenso muro de 7 metros de altura coberto por plantas de diversas espécies que, durante a noite, recebem projeções de imagens, como se fossem um enorme telão vivo. Com direito à passarela, piscina, espelho d’água e um gazebo incomum, o espaço favorece a contemplação.

Veja também nossa matéria especial sobre a Casa Cor São Paulo 2011.

Especial | Casa Cor São Paulo 2011

Leia nossa matéria especial sobre o maior evento de decoração, arquitetura e design do país. Tendências, ideias e os melhores ambientes segundo o REFERANS.

No lobby de entrada, com ambientação de Julio Takano, os visitantes são introduzidos ao tema dessa edição, Dia a Dia com Tecnologia, por corpos prateados com luminárias no lugar das cabeças. Um visual inusitado e bem futurista.

Depois de passar pela bilheteria, chegamos à praça das esculturas e seguíamos nosso caminho em direção à Casa Cor quando vimos que o acesso estava bloqueado e que, para chegar ao restante dos espaços, seríamos forçados a visitar a Casa Hotel antes. Isso foi realmente irritante, porque os ambientes estavam super lotados e não são preparados para receber todo o contingente de público de uma só vez. Muitos bloqueios, escadas apertadas e arquibancadas depois, finalmente conseguimos sair do hotel e andar livremente pela mostra. Ufa!

Tendências

Neon Lights

Normalmente usados em bares e estabelecimentos de gosto duvidoso, os letreiros neon assumem novo valor na decoração. Já mostramos aqui alguns projetos que utilizam esse recurso, mas depois de encontrar os luminosos em três ambientes da mostra – de estilos bem diferentes por sinal – podemos dizer definitivamente que eles serão tendência nos lares urbanos.

No E-Lounge, assinado pela renomada arquiteta Fernanda Marques, uma instigante frase se tornou um dos maiores destaques da composição. Dentro do evento paralelo Brastemp Gourmet, o neon rosa brilha junto aos lindos fogões retrô instalados na cozinha divertida de Cristina Barbara. Já no playground da Casa Kids, projetado por Daniela Bello, o céu imaginário ganhou estrelas e nuvens iluminadas, além do arco-íris no pergolado.

Samambaia Pop

Outro elemento decorativo que volta a ter espaço nas casas luxuosas são as samambaias, plantas até então vistas como simples e populares. Na Casa Cor, as encontramos subindo pelas paredes, presas ao teto, como no loft criado por Leo Shehtman e também em vasos, como no living cheio de ostentação de Jorge Elias. Algumas até foram parar dentro do closet, ideia conceitual das designers Daniella e Pricilla de Barros para a Suíte do Conquistador.

Jardim na estante

Armário também é lugar de planta! Como uma alternativa aos jardins verticais convencionais – que, apesar de lindos, podem ser repetitivos – a paisagista Gigi Botelho decidiu aproveitar algumas malas e livros velhos e transformá-los em vasos inusitados, que aparecem junto a telhas antigas e até uma cabeça de veado ecofriendly. Tudo isso está exposto em uma enorme estante de Peroba de demolição, como uma verdadeira biblioteca viva.

Os melhores

Na Cabana Urbana, idealizada por Fábio Galeazzo, o que mais chama a atenção é a estante circular de marcenaria, instalada ao redor de uma grande janela redonda, e o assento suspenso Nestrest, que representa um imenso ninho, proporcionando conforto e aconchego. Num clima bem brasileiro, o espaço reúne muitas outras sacadas interessantes, como as paredes multicoloridas, a cozinha giratória com cuba embutida, uma grande gaiola com lâmpadas ao invés de pássaros e o balcão da churrasqueira, coberto por azulejos estampados. Só pra completar, o designer ainda usou móveis assinados por profissionais brazucas, como o lindo aparador de Brunno Jahara e a poltrona Chifruda, de Sérgio Rodrigues.

Um dos nossos ambientes preferidos foi o Quarto do Jovem, criado por Paula Magnani e marcado por cores sóbrias e mobiliário despojado, como os cubos revestidos de azulejos do Estudiobola. Ao lado da cama com cabeceira revestida de lona, o cantinho de leitura conta com luminária holofote e poltrona de medidas generosas que traz comodidade para os estudos diários. A grande estante cinza, que serve de apoio para a bancada, tira proveito do pé-direito duplo e acomoda livros, DVDs e objetos queridos.

Foto acima: Reprodução

O premiado como melhor projeto de 2011 – e também meu favorito – foi o Concept Hall da Deca, concebido pelo veterano Roberto Migotto. Em um lounge de 270m² com estrutura de metal, o profissional instalou um grande espelho d’água, completando o interior com móveis de madeira, em tons cinza e amarronzados, e com os últimos lançamentos de louças e metais da Deca. Os destaques são a mesa de centro da Érea, coberta por um jardim de cactos, e o revestimento metalizado das paredes. Com o nome Club, o papel da marca holandesa Eijffinger tem efeito 3D e está à venda na loja Paper.com.

Foto acima: Reprodução

Foto acima: Reprodução

O mundo mágico das crianças

Na Casa Kids, a palavra de ordem é fantasia! De suítes com pequenas ‘tocas’ secretas a banheiros integrados com piso colorido, os cômodos são a realização dos sonhos de qualquer criança. O que mais gostei foi a escrivaninha / closet do Quarto da Estudiosa, de Éllen Cavalcante e Paula Ferraz. Uma gigante letra ‘A’ estrutura o móvel, valorizado pela pintura amarela e pela charmosinha cadeira Panton para pequenos.

Outra invenção meio maluca é a torneira lúdica da Brinquedoteca decorada pela Oca Oficina de Criação e Arquitetura. Uma chapa branca recortada em formato de nuvem esconde atrás de si diversas saídas de água que caem sobre uma bancada de pedra, simulando uma pequena chuva. O espaço ainda conta com uma enorme parece de lousa e uma roda-gigante com baldinhos que armazenam brinquedos e materiais escolares.

Ideias Possíveis

Nem todas as ideias da mostra são exageradas e impraticáveis. Algumas boas sacadas podem ser aproveitadas em nossas humildes casas, como a mesa de centro com base de garrafas vazias, destaque no lounge da Caixa, logo na entrada do evento. Estantes de acrílico ou vidro com prateleiras irregulares também podem ser reproduzidas em residências reais, assim como a horta na bicicleta, um dos detalhes encantadores da Praça das Palmeiras, idealizada pela paisagista Ana Paula Magaldi.

A Brigaderia de Flávia Gerab, além de ser um dos projetos mais lindos e docinhos de todos, revela quadros de crianças com fundos de tecido colorido, uma composição de pendentes solitários e bancos feitos de antigas latas reaproveitadas.

Foto acima: Reprodução

Fotos por Igor Giroto

Veja também nosso primeiro post sobre a mostra.

%d blogueiros gostam disto: