Posts Tagged ‘ roxo ’

TOP 5 | PORTAS COLORIDAS

Está querendo adicionar um pouco de cor na sua sala mas tem medo de pintar uma parede e enjoar? Então que tal optar por um detalhe menor e mais fácil de mudar? Anime a porta de entrada com tons inesperados e surpreenda suas visitas.

# 1 Meio a meio. Com uma linha diagonal que divide a porta em duas, essa ideia é ousada em dobro. Além do mais, o amarelo suave e o rosa claro funcionam bem juntos.

# 2 O pé-direito do hall de entrada já é excepcionalmente alto. Ok, isso é ótimo, mas os grandes paredões brancos ficariam sem nenhuma graça se não fossem os quadros e a porta laranja quase fluorescente.

# 3 Pintada na mesma cor da parede, essa porta de entrada roxa fica camuflada, passando uma sensação de continuidade, quase como se fosse um extenso painel.

# 4 Em versão de correr, a porta de madeira trabalhada dessa casa ficou com um visual bem mais contemporâneo depois da tinta verde.

# 5 No projeto das meninas do estúdio Arquitetura Paralela, a porta do apê ganhou uma pintura amarela, alegrando o living.

Fotos via Pinterest | Casa Claudia | Flickr

Anúncios

SEXTA INSPIRADA! PAREDES

Toda casa tem paredes estratégicas que não podem ficar em branco, pode ser no hall de entrada, ao lado da mesa de refeições ou atrás do sofá. Em locais de destaque, elas clamam por um detalhe especial, uma composição de quadros, um revestimento bem diferente ou pelo menos uma pintura marcante. A seguir, várias sugestões bacanas pra fazer brotar a inspiração.

Atraente ao toque… e ao olhar

A casa da arquiteta e designer italiana Monica Armani é um reflexo de tudo aquilo em que acredita. A seu ver, os ambientes só se tornam atemporais quando preservam espaços em branco, vazios, mas sem deixar de passar uma sensação de aconchego, como todo bom lar, é claro. Talvez seja por isso que ela tenha escolhido um revestimento tão sensível pra cobrir algumas de suas paredes. Aplicado em diversas camadas, o feltro cinza transformou um espaço vazio sem graça em uma superfície gostosa de tocar.

Resgatando memórias

Acho que é seguro dizer que Marcelo Rosenbaum é o designer de interiores mais conhecido do Brasil. E não é só pela participação em um programa de televisão não. Seu talento e originalidade vão muito além disso, como também o compromisso de tornar o design mais acessível. Em seu próprio lar doce lar, Marcelo usou ideias irreverentes pra criar o clima perfeito pra sua família. No living, um desses detalhes inusitados: paredes de fulget preto que lembram a casa de sua avó.

Cor neles!

Quem é que não gosta de tijolinhos? Pessoalmente, eu adoro, mas acho que eles ficam beeem mais divertidos quando são pintados de preto, rosa, azul, roxo… Essa sala de jantar é uma prova de que nem sempre esse acabamento — ou falta de — precisa ter aquela cara rústica. Aqui ele aparece em versão contemporânea, mas ainda assim transmite aconchego.

Bloquinhos de madeira

Calma, calma… Não estamos falando daqueles bloquinhos de montar de criança – se bem que já vi um projeto assim em algum lugar. Bom, os blocos em questão são uma invenção divertida do escritório Wolveridge Architects, que não hesitou e acabou revestindo toda uma parede com acabamentos quadrados de madeira envelhecida. Instaladas sobre a lareira da sala de jantar, os toquinhos revelam um jeito atual de explorar o charme do rústico.

De bom tom

Ok, pintar uma das paredes de um cômodo de alguma cor forte não é nenhuma novidade. Mas, esse caso é diferente. Além de o tom escolhido ser um ousado laranja vibrante, a parte mais legal é que a pintura não se limita apenas à parede em si, mas também cobre os objetos e equipamentos que ficam presos a ela, camuflando até mesmo as coisas de maior volume, como o aquecedor.

High Low

O sofá da sala pode ser caro, de alguma marca internacional famosa como Moroso ou Ligne Roset, mas quem disse que o resto das peças não pode ser barato? Essa é a brincadeira do High Low. No projeto de pegada sustentável da arquiteta Juliana Traldi, o high são os itens do mobiliário, enquanto o low é o revestimento da parede. Não parece, mas ela está forrada de rolos de papelão, o que cria uma textura de tubos interessante e original.

Mural de referências

Já imaginou que as paredes podem também servir como enormes murais? Colar fotos direto sobre a pintura pode parecer loucura pra alguns, mas muita gente faz isso e adora o resultado. Lá nos países escandinavos, já até virou tendência pregar fotos, pôsteres e estampas gráficas direto com fita adesiva. Estampadas ou em cores neon, essas fitas acabam se tornando mais um charme da composição.

Fotos via Elle Decor It | Casa Claudia | Archdaily | Pinterest

ACHADOS DA SEMANA

Sexta Inspirada! Jardim Vertical

Não é de se estranhar que os jardins verticais tenham conquistado tantos adeptos. Já que as cidades ficam cada vez mais cinzas e a maioria das casas e apês não tem quintais ou varandas, a melhor solução é apelar pras paredes e cobri-las de verde. A crescente busca por estar mais próximo da natureza é uma tendência que, ao que tudo indica, ainda estará presente por muitos anos. Quem sabe num futuro próximo todo mundo não terá um jardim vertical?

Verde ao redor da piscina

Para aproveitar ao máximo a generosa área externa com piscina, a moradora desse imóvel sabia que precisaria de um profissional talentoso para conceber um paisagismo de encher os olhos. Sem hesitar, ela logo contratou o experiente Gilberto Elkis, que bolou um jardim exuberante, com muros repletos de espécies em uma grande variedade de cores e folhagens.

Blocos invertidos e fundo roxo

Algumas ideias surgem assim mesmo, vemos em algum lugar e nos empolgamos pra repetir em casa. Foi assim com a dona de uma residência em São Paulo. Certo dia ela viu o paredão de uma loja com blocos invertidos e vasos encaixados, achou lindo e pediu um igual pras meninas da Casa 14 Arquitetura, responsáveis pela reforma. O tom de roxo foi só pra trazer ainda mais graça.

Vertical e suspenso

Quem já leu aqui no REFERANS sobre os Woolly Pockets sabe que esse produto versátil é a alternativa perfeita pra criar uma paisagem vertical sem causar um rombo no orçamento. Infelizmente – pelo menos até onde eu sei –, eles ainda não são vendidos aqui no Brasil. Mesmo assim, vale se inspirar nos cenários que a empresa cria para divulgar os diversos modelos disponíveis, como esse suspenso, feito pra ser pendurado no teto.

Spa particular

Quando precisa de bons momentos de relaxamento, Cynthia Chua, dona de uma rede de spas em Singapura, se refugia em sua sala de banho ao ar livre. O tamanho da abertura no teto para a entrada de luz do sol nem precisou ser muito grande, apenas o suficiente para cobrir toda a banheira de pedra. Assim Cynthia pode tomar longos banhos com vista para o céu. Certamente um cantinho pra se esquecer do mundo.

Destaque na Casa Cor

Ultimamente, em todas as edições da Casa Cor, seja em São Paulo ou na Bahia, os jardins verticais marcam presença em pelo menos uns dez projetos. No ano passado, os arquitetos Paulo Rosenstock e Luciana Blagits usaram samambaias viçosas para trazer vida ao Home Theater da mostra em Santa Catarina. Já na edição carioca desse ano, uma parede verde valoriza a Praça Casa Cor, ambiente assinado pelas paisagistas Marisa Lima e Emmilia Cardoso.

Fachadas vivas

E quem disse que eles só podem ser usados no interior das casas? Fachadas inteiras, de residências e até de grandes prédios, já receberam espécies verdejantes, transformando a paisagem urbana. Eis aqui dois exemplos incríveis: a Casa JH, com arquitetura idealizada pelo escritório Bernardes & Jacobsen e paisagismo concebido por Gica Mesiara, e o projeto do estúdio Samyn and Partners, com muros vivos e recortes fechados por vidro.

Além das casas

Os espaços comerciais também não ficam de fora. No aeroporto de Biggin Hill, próximo a Londres, os designers do estúdio SHH incluíram um jardim vertical no lounge para os passageiros VIP da companhia aérea Rizon Jet. Agora até mesmo as vitrines de lojas estão exibindo plantas variadas, caso da Replay, em Barcelona.

Leia também: Sexta Inspirada! Jardins e Áreas Externas.

Mosaico de Cores # 1

Já faz um tempo que venho selecionando diversas imagens de interiores e detalhes decorativos com cores fortes e marcantes. Decidi então criar uma série de posts especiais, sem textos, apenas mosaicos de fotos encantadoras pra alegrar o fim de semana.

Inspire-se!

Flavaboom | Frozen Yogurt

Seguindo um conceito similar ao do Café Coutume, em Paris, a loja de frozen yogurt Flavaboom, em Nova York, possui um design de interiores que lembra as instalações de um laboratório, nesse caso, futurista e colorido. Na prática, os clientes também se sentem como verdadeiros cientistas, já que podem experimentar e criar suas próprias combinações de sabores sobre o balcão com 9 metros de comprimento.

O estúdio nova-iorquino Dune é o responsável pela ambientação do espaço de 134m², pela criação dos móveis sob medida e também pela identidade visual da marca. Na parede ao fundo, pontos de LED formam um painel interativo que varia de acordo com o momento do dia e exibe diversos padrões diferentes, como listras iluminadas e corações. A paleta de cores foi definida pelo tom dos iogurtes mais deliciosos do cardápio, como o uva que alegra os bancos estofados embutidos e o azul claro da bancada.

Veja outros projetos de lojas de frozen yogurt.

Apê no Ibirapuera por Francisco Calio

Além do generoso pé-direito, valorizado pelas amplas janelas que trazem luminosidade, o grande diferencial do living desse apartamento no bairro do Ibirapuera, em São Paulo, é a parede com acabamento que simula concreto aparente. Foi o tom de cinza da tinta Suvinil que orientou o designer Francisco Calio na escolha do piso de madeira cumaru e na composição de cores e móveis do apê.

Com exceção das suítes, todos os cômodos, inclusive a varanda, são integrados por painéis de correr de madeira escura, substituindo as paredes. Próximo à mesa de jantar, com cadeiras Panton brancas e pendente Mirror Ball, de Tom Dixon, uma parede de tijolinhos reforça o visual de loft moderno do imóvel.

Apesar de adorar os ambientes do Calio, confesso que senti que falta um pouco de vida nesse apartamento, me parece sem identidade. Se houvessem mais objetos decorativos e de família, o resultado seria mais humano e acolhedor.

Confiram outros projetos mais inspiradores do designer aqui.

%d blogueiros gostam disto: