Posts Tagged ‘ vintage ’

O NOVO RESTAURANTE DE JAMIE OLIVER

Talvez todas as pessoas nasçam mesmo com um dom. Uma predisposição pra realizar algo, seja cantar, atuar, desenhar… O dom do britânico Jamie Oliver todo mundo já conhece. Com um grande talento pra criar pratos incrivelmente deliciosos e misturas um tanto inusitadas, o jovem chef inaugurou recentemente o primeiro restaurante de sua nova rede, a Union Jacks, que aumenta a já extensa lista de estabelecimentos com a sua assinatura.

Ao lado do famoso pizzaiolo americano Chris Bianco, Jamie promete aos clientes uma experiência única, explorando sabores e temperos locais através de formas de preparo tradicionais. Pra ajudar a criar essa atmosfera de resgate ao passado, mas com uma proposta contemporânea, a localização da pizzaria não poderia ser melhor. Ela fica no coração de Londres, no prédio Central St Giles, finalizado pelo renomado arquiteto Renzo Piano em 2010.

O conceito do projeto de interiores, com referências retrô e industriais, nasceu do amor de Jamie pela cultura e herança britânicas e de seu entusiasmo em encorajar a nação a se alimentar melhor. Quem traduziu todo esse ideal em espaços foram os designers da agência criativa Blacksheep, responsável pelo décor de outros 5 restaurantes do chef. Do cardápio, impresso com tipografia old school, aos móveis, tudo respira passado. Objetos garimpados pelo proprietário em viagens ao redor do mundo contracenam com bancos de um antigo laboratório ou peças feitas sob medida.

Televisões vintage espalham-se por todo o salão e permitem que os clientes assistam os chefs durante o preparo das refeições. Sobre o bar, de frente para a calçada, um colorido letreiro em néon certifica-se de que o lugar não passe batido a nenhum pedestre.

Fotos via Dezeen

Anúncios

APÊ COOL POR GUILHERME TORRES

Descolado, moderninho, irreverente, arrojado… Tais adjetivos são usados com frequência pra descrever os tantos projetos incríveis do arquiteto Guilherme  Torres. De uns anos pra cá, o profissional tem ganhado cada vez mais destaque, inclusive internacionalmente.

Tanto que agora já virou fato: quando o assunto é criar um espaço autêntico que reflita a cultura jovem e urbana, não tem pra ninguém. Guilherme e sua equipe lideram o ranking. A bola da vez é o lar, doce lar do DJ Pil Marques, em São Paulo, que você conhece agora.

O desafio foi grande e até meio inesperado. Em poucos m² era preciso fazer caber não só o acervo de Pil, como também os objetos e cômodos de seus roommates, o artista Daniel Zanardi e a também DJ Adriana Recchi. A tarefa seria rotineira, e até simples, se não fosse pelas preciosas coleções do proprietário. Incontáveis bonecos toy art, discos de vinil e obras de arte exigiram do arquiteto muito jogo de cintura e um verdadeiro instinto de curador.

De frente para o hall de entrada, o equipamento sonoro — uma das grandes paixões do morador e também seu ganha-pão — recepciona os visitantes. Logo em seguida, o que mais atrai o olhar são as paredes da área social, coloridas em azul escuro na parte do sofá e em rosa forte na cozinha integrada. Apesar de vibrantes, as cores, assim como os móveis, funcionam como pano de fundo para que os objetos garimpados ao longo dos anos fiquem sob os holofotes. Como detalhes que exigem um olhar mais atento e demorado, tal qual uma exposição.

O quarto de Pil, como já era de se esperar, foi transformado em um refúgio não só para ele, como também para seus mais queridos bonecos, de relíquias vintage a modelos recém-lancados, passando por personagens do Star Wars e de desenho animado. É ali, cercado por seus pertences do coração, em meio ao caos organizado, que o DJ consegue realmente descansar e sentir-se em casa.

Não se cansa dos projetos do Guilherme? Nós também não! Clique na foto e descubra muitos outros já publicados aqui.

Fotos de Lufe Gomes via Yatzer

A LOJA DESCOLADA DE ADRIANA BARRA

Na esquina da Alameda Franca com a Rua Haddock Lobo, nos Jardins, uma grande casa coberta por jardins verticais desperta a curiosidade de quem passa por ali. Ainda que a construção possa ser misteriosa para a maioria, os fashionistas de plantão já sabem: esse casarão surpreendente abriga a arrojada loja da estilista Adriana Barra, inaugurada em Setembro de 2009.

Com pouco mais de 350 m², o imóvel exibe uma arquitetura livre de excessos, onde as caixas de concreto e madeira criam um divertido jogo de contrastes com os painéis paisagísticos. Para promover a entrada de luz natural, fendas de vidro em posições estratégicas foram outra alternativa interessante usada no projeto arquitetônico.

Além dos blocos anexos à construção original, o antigo casarão teve partes de sua estrutura restauradas, a exemplo do piso em perobinha e das grandes janelas em pinho-de-riga, madeiras atualmente em extinção. A escada principal também foi preservada e ganhou um visual contemporâneo graças aos degraus coloridos que seguem cores da cartela Pantone.

Recriando um universo lúdico e criativo, a decoração da loja, idealizada por Adriana, tem um apelo quase cenográfico que permitiu a criação de detalhes atrevidos, como os provadores que lembram banheiros retrô e um ambiente totalmente revestido por pastilhas com estampa assinada pela própria Adriana. Encanamentos de cobre viram cabideiros inusitados e contracenam com bancos feitos de alvenaria e muitos móveis de designers e marcas renomadas, como a Moroso.

Em cada novo espaço que se entra, a loja com cara de casa vai revelando cantinhos divertidos e moderninhos, encantando os clientes e os introduzindo à atmosfera mágica das criações da fashion designer.

Fotos por Tuca Reinés via Flickr Adriana Barra

Achados da Semana

In Power 10 | coleção composta por dez versões da mesa assinada por Arik Levy. Nesse modelo o designer usou dez cores diferentes.

Industrial | luminária náutica da loja Desmobilia, uma peça enferrujada e vintage, com as marcas originais de uso.

Da marca Frazier & Wing, os móbiles de papel multicolorido trazem alegria a qualquer ambiente.

Felt & Gravity Collection | coleção de móveis com estrutura de madeira e tiras de feltro. Uma criação de Amy Hunting.

Sexta Inspirada! Especial * COOL HUNTING

Essa semana decidi fazer uma Sexta Inspirada! diferente.

Depois de ter perdido o período de inscrição no semestre passado, em Agosto finalmente consegui começar meu curso de COOL HUNTING na Escola São Paulo. O curso é coordenado pela pesquisadora e jornalista Sabina Deweik e tem o objetivo de nos introduzir ao Cool Hunting, ou seja, a habilidade de observar o comportamento das pessoas, interpretá-lo e dessa forma projetar o futuro, conseguindo assim determinar tendências de consumo e orientar empresas quanto ao seu posicionamento no mercado.

Ainda estamos nas primeiras aulas, mas já deu pra aprender bastante coisa, então resolvi compartilhar com vocês. (Assim também já fixo ainda mais o conteúdo). Entendam sobre as maiores tendências do mercado atual e como elas se manifestam no mundo do design de interiores e arquitetura.

Boa leitura!

 As 6 tendências do consumo emergente

O Consumo Arquetípico

A melhor maneira de descrever esse fenômeno é através do termo Genius Loci, que significa ‘o talento e o espírito de um lugar’. É usado para definir tudo aquilo que tem como ponto de partida as raízes e tradições de determinado povo ou região, e que por conseqüência nos remete à cultura e história daquele local. A valorização das origens e da autenticidade é uma nova mentalidade que cresce entre os consumidores contemporâneos.

Design Arquetípico

* O crescente número de parcerias entre designers e artesãos, buscando dar nova cara aos produtos e gerar fontes de renda para as comunidades.

* Objetos feitos à mão, como cumbucas e personagens de barro, ganhando destaque em ambientes contemporâneos, como o living abaixo, idealizado por Sidney Quintela.

* Móveis e acessórios de inspiração indígena sendo usados como itens decorativos, como acontece no hotel Uxuá, em Trancoso, na Bahia.

O Consumo Transitivo

Normalmente associada ao universo infantil e lúdico, essa tendência nasceu a partir das novas relações que as pessoas passaram a estabelecer com os objetos de consumo. É caracterizado quando existe uma ligação afetiva entre o consumidor e o produto, quando esse passa a preencher uma lacuna de transição entre o que é considerado seguro e o novo, que pode causar receio. Juntas, as sensações de familiaridade e de novidade conquistam adeptos de todas as idades.

Design Transitivo

* Os bloquinhos LEGO, um dos mais clássicos brinquedos de todo o mundo, têm assumido novo papel nos últimos anos e agora são usados até mesmo em móveis, como a bancada de cozinha criada por Simon Pillard e Philippe Rossetti.

* Originais e divertidos, os acessórios domésticos criados por marcas como a italiana Alessi e a tailandesa Propagandaonline, ajudam a encarar as tarefas diárias com bom-humor.

* Para o lançamento da coleção de inverno 2010, Et Circenses, da marca Melissa, o designer Marcelo Rosenbaum criou uma ambientação inspirada nos divertidos circos.

O Consumo da Memória Vital

Não é de hoje que criadores do presente voltam ao passado em busca de inspiração. Além da recuperação de elementos vintage, esse retorno às décadas passadas também é uma forma de reconstruir o que já foi produzido anteriormente e introduzir novas visões dentro desse universo. Dessa forma, a memória acaba se tornando uma maneira de projetar o futuro.

Design da Memória Vital

* A tendência retrô faz tanto sucesso atualmente que a Brastemp, após lançar o frigobar de look antiguinho, ampliou essa linha com a geladeira tamanho padrão e o fogão.

* Antonio Ferreira Jr. e Mario Celso Bernardes formam uma talentosa dupla de arquitetos que consegue unir os estilos contemporâneo e retrô em diversos tipos de projeto, como nos espaços abaixo.

O Consumo Compartilhado 

Dizer que as pessoas estão cada vez mais conectadas já não é nenhuma novidade, mas, ao contrário do que muitos pensam, esse comportamento não se limita somente ao mundo virtual. Atualmente existe entre os indivíduos um forte desejo de conviver em comunidade e compartilhar experiências de vida e também de consumo. Isso transforma as cidades em grandes centros de integração social, onde os espaços e eventos públicos estimulam o espírito coletivo.

Design Compartilhado

* Nos últimos anos, o renomado Salão do Móvel, que acontece em Milão, ganhou dimensões ainda maiores e em Abril transforma a cidade inteira em um grande centro cultural.

* Parques públicos como o High Line, em NY, renovam as paisagens urbanas e aproximam as pessoas. Na China, o Tanghe River Park, às margens do rio de mesmo nome, possui um banco vermelho comunitário que serpenteia por toda a extensão do terreno, convidando os visitantes a curtirem a paisagem em conjunto.

* Localizado na França, o complexo aquático Les Bains des Docks funciona como uma piscina pública, trazendo divertimento para adultos e crianças.

O Consumo DecontrActive

O conceito de luxo está mudando. Se antes o que mais importava eram a ostentação e o excesso, hoje em dia as pessoas buscam a simplicidade, o conforto e a qualidade de vida. O novo luxo é ter tempo para desacelerar e cuidar do corpo e da mente em busca do equilíbrio. Assim nasceu o Slow Living, um lifestyle onde o importante é desfrutar dos pequenos prazeres cotidianos.

Design DecontrActive

* Grandes escritórios agora possuem as chamadas ‘Salas de Descompressão’, que são cômodos aos quais os funcionários podem recorrer quando precisam desestressar.

* De uns tempos pra cá, os banheiros cresceram e passaram a ser chamados de salas de banho ou até mesmo home spas, ambientes onde os moradores encontram relaxamento e prazer.

* Móveis confortáveis, como os futons ou a poltrona Mandacaru, assinada por Baba Vacaro, remetem ao estilo de vida zen e descontraído.

O Consumo da Ocasião

A fuga da rotina é a grande proposta desse tipo de consumo. Através de iniciativas e propostas surpreendentes, marcas e instuições atraem o olhar das pessoas proporcionando experiências únicas e inesperadas, extraordinárias. A idéia de oportunidades imediatas e imperdíveis também funciona como chamariz.

Design da Ocasião

* As lojas pop-up já são sucesso em diversos países, inclusive aqui no Brasil, e atraem uma boa clientela. Mas e quanto à uma capela pop-up? No final de Julho, 12 casais fizeram seus votos sagrados sob um pequeno arco de papelão montado no Central Park.

* Munidos de guarda-chuvas vermelhos, cerca de 300 jovens se reuniram em 2010 em uma praça de Roterdã para curtir um bar temporário organizado pelos estúdios DUS Architecten e Studio for Unsolicited Architecture. A estrutura do espaço era feita somente com os guarda-chuvas.

Malas de Criado-mudo

Boa ideia: Além da linda cabeceira de ferro trabalhado, a suíte do casal australiano Nelly Reffet e Samuel Desmaris conta com um criado-mudo bem original, criado com algumas malas antigas empilhadas. Como se não bastasse o charme vintage, os acessórios também podem ser usados para armazenar objetos usados esporadicamente.

Imagem via Apartment Teraphy

Top 5 | Ventiladores Vintage

Confira 5 produções encantadoras com esses acessórios delicados que trazem um ar romântico aos ambientes da casa. Inspirações pra quando o verão chegar!

# 1 Praticamente no mesmo tom de azul clarinho da mesa lateral, a peça antiguinha faz um charme sobre livros queridos.

# 2 Um modelo um pouco maior e já bem acabado funciona também como porta-retrato improvisado em uma residência em Milão. Conheça essa casa completa aqui.

# 3 Na companhia de um mapa rasgado, uma parede de madeira envelhecida e até um abajur com a cúpula amassada, o ventilador azul completa o glamour decadente de um dormitório com personalidade.

# 4 Sobre um inusitado arranjo de malas antigas o acessório deixa qualquer cantinho da casa mais atraente.

# 5 Uma pilha de livros, uma fita na parede, colares pendurados, fotos presas com fita adesiva e até uma galhada de veado. E claro, o ventilador prata fechando com chave de ouro. Pra quem tem estilo, decorar não é nada complicado.

%d blogueiros gostam disto: